IRMÃ FEIA, INVEJA DA IRMÃ BONITA

    A inveja permeia todos os meios, e graus de parentesco. Também não sabemos por que algumas irmãs roubam todo o gene da beleza, deixando muito pouco para a outra, ela deve querer explicações. Tem toda uma questão de justiça da beleza aí, irmãs deviam ter cotas iguais da beleza, esperamos que num futuro bem próximo isso seja possível, pra diminuir essas injustiças entre irmãs. Claro, ela deixa isso nítido na foto, se não pode sair bem na foto, o negócio é estragá-la. Mas, a beleza é passageira, efêmera como disse Gregório de Matos no seu soneto:


A inconstância das coisas do mundo!

Nasce o Sol e não dura mais que um dia,
Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
Em contínuas tristezas e alegria.
Porém, se acaba o Sol, por que nascia?
Se é tão formosa a Luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?
Mas no Sol, e na Luz falta a firmeza,
Na formosura não se dê constância,
E na alegria sinta-se a tristeza,
Começa o mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza.
A firmeza somente na inconstância.