Cranícula, se esqueleto tivesse saco...


    Bem antes do cranícula da turma da mônica, as caveiras já serviam de confidentes, o ser ou não ser de Hamlet, obra de Shakespeare que, ao final quer dizer que todo mundo mais cedo ou mais tarde será um cranícula também. A caveiramania de tempos em tempos volta a moda, está no anel do fantasma, está na camiseta do justiceiro, no fantomas um desenho antigo (uma caveira com um trinco e usando uma capa), sem contar o esqueleto do He-Man. Verdade é que quando dizemos caveira, ela pode ser só o crânio, como o esqueleto inteiro, não tecnicamente falando, mas, no sentido geral. Claro eu não poderia deixar de citar a música: Tumbalacatumba: interpretada por Vovó Mafalda (Valentino Guzzo), Xuxa:

refrão
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

todos
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Quando relógio bate a uma, todas as caveiras saem da tumba;
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Quando o relógio bate as duas, todas as caveiras pintam as unhas;
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Quando o relógio bate as três, todas as caveiras imitam chinês;
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Quando o relógio bate as quatro, todas as caveiras tiram retrato;
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Quando o relógio bate as cinco, todas as caveiras apertam os cintos;
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Quando relógio bate as seis, todas as caveiras jogam xadrez;
Tumbalacatumba tumba ta (sua vez )
Tumbalacatumba tumba ta (agora é sua vez, agora é vocês)

Quando o relógio bate as sete, todas as caveiras imitam a gretchen;
Tumbalacatumba tumba tá (uououououo)
Tumbalacatumba tumba tá (uououououo)

Quando o relógio bate as oito, todas as caveiras comem biscoito;
Tumbalacatumba tumba tá
Tumbalacatumba tumba tá

Quando o relógio bate as nove, todas as caveiras vestem o short;
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Quando o relógio bate as dez, todas as caveiras comem pastéis;
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Quando o relógio bate as onze, todas as caveiras se escondem;
Tumbalacatumba tumba ta
Tumbalacatumba tumba ta

Quando o relógio bate as doze, todas as caveiras voltam pra tumba;

Tumbalacatumba tumba ta, tumbalacatumba tumba ta...

O coitado do Cranículatem de aguentar (adiantando as novas regras da língua portuguesa, vou começar a deixar de usar o trema) as reclamações, inerte ele ouve tudo. Sua única vingança é pensar uma coisa e dizer outra. Plantado ali, ele apenas pode observar tudo, dependendo da vontade de sua patroa para locomover-se. Onde estaria o resto de seu corpo?. Seu patrão fugiu com a camponesa.