Turnê, Pegar a Estrada

    Quando a banda, seja de qual estilo musical for, pega a estrada, é a grande oportunidade de ir conhecer os fãs dos mais diferentes lugares, seja em shows nacionais, ou internacionais. O que vai proporcionar uma bagagem de experiência de vida inesquecível aos integrantes da banda e as mais inusitadas histórias.  Os músicos tem um carinho especial por seus instrumentos musicais, em alguns casos, até batizam o instrumento com nomes femininos, como é o caso do guitarrista e cantor de Blues: B. B. King, que batiza suas guitarras com o nome: Lucille. Eu pensei, que Lucille foi uma namorada dele, ou um amor não correspondido, mas, depois de pesquisar, ao que consta, durante uma apresentação no Arkansas, em 1949, foi colocado um barril de querosene no meio salão, era um costume comum no inverno, para aquecer o ambiente. De repente, dois homens começaram a brigar, tombaram o barril de querosene em chamas, houve uma correria geral, já no lado de fora, B. B. King percebe que tinha esquecido sua Gibson Acústica, que na época custara 30 dólares. Então, contrariando o bom-senso e a certeza de que o bem material pode ser reconquistado, mas, a vida não, B. B. King, teve a infeliz atitude de voltar ao prédio em chamas para resgatar a guitarra. Por pouco, não morrendo lá dentro. No dia seguinte, B. B. king fica sabendo que o incêndio causou a morte de duas pessoas, e o que motivou a briga dos dois homens, foi uma mulher chamada: "Lucille". Desde então, B. B. King passou a batizar suas guitarras de Lucille, para sempre lembrá-lo de jamais repetir aquele ato impensado, de entrar um lugar em chamas para resgatar uma guitarra. Provavelmente, os dois homens que começaram a confusão, não foram os que morreram no incêndio, porque, sempre acaba sobrando para um inocente que não teve nada a ver com a briga. Mas, este afeto e zelo pelo instrumento musical, nem sempre foi uma regra, basta lembrar dos guitarristas, que destruíam, alguns ainda destroem, suas guitarras. Havia um guitarrista, que ao final da apresentação, sempre destruía a guitarra, porém, era um guitarra dublê, bem barata, uma réplica da original. Na foto do post, o instrumento musical do baterista, seria o que daria um trabalho maior para o translado, comparado com os dos outros integrantes, já que a bateria é composta de: prato de condução, surdo, tom-tom, bumbo, caixa, chimbal (ainda há outros componentes da bateria, além destes citados). Obviamente, numa banda de envergadura, fama, grana sobrando, o baterista não precisa se preocupar com estes detalhes de translado, cabe aos  roadies, que são muito mais do que bagagistas, eles são verdadeiros anjos da guarda dos músicos, ajudando-os a trocar guitarras, as cordas da guitarra, substituindo baquetas quebradas, ajustando microfone, afinando instrumentos, inclusive atuando na direção de palco dos shows.