Convertendo iPhone em iPad

    As conversões de polegadas em centímetros, m/s em km/h, envolvem cálculos, felizmente, há dezenas de sites que fazem a conversão, basta somente preencher os campos, infelizmente, nenhum tipo de calculadora científica é permitida em vestibulares, nem acessar a internet, obviamente, é preciso saber fazer os cálculos na ponta do lápis. Estes cálculos são feitos nas versões brasileiras para filmes e seriados, milhas em quilômetros, Celsius em Fahrenheit. A conversão de vídeos para formatos diferentes também pode ser feita utilizando softwares específicos. A solução do Meme para converter um iPhone em iPad, utilizando um rolo para abrir a massa do iPad em iPhone, parece legítima, mas, totalmente inviável. Por enquanto, só podemos redimensionar a imagem na tela touch screen,  dar zoom, usando o polegar e indicador como um pinça virtual, mas, eu não duvido nada, que um dia possa surgir, materiais maleáveis, então, os próprio Smartphones seriam feitos de um material maleável, que poderia ser moldado pelo dono, personalizado, pelo menos, as bordas. Sempre que lembro de materiais maleáveis, lembro daqueles pedaços de um material totalmente maleável, de origem desconhecida, que o Tenente Jesse Marcel, jurou até sua morte, ter segurado em suas mãos, ele disse que por mais que amassasse, o material voltava a forma original (materiais inteligentes, a nossa nanotecnologia, tem feito progressos nesta área), não riscava, ou quebrava, que ele recolheu pedaços, mas, teria sido obrigado a devolvê-los, para o alto comando do Exército Americano, bem como, posar para uma foto humilhante, perto dos restos de um  balão meteorológico, que ele jurou nunca existiu, mas, que oficialmente foi declarado como o suposto objeto que teria caído, o metal desconhecido teria sido encontrado por Jesse Marcel, no lugar onde um suposto disco voador teria caído, o que ficou conhecido como Caso Roswell, 02 de julho de 1947. Recentemente, 65 anos depois do acidente, o ex-agente da CIA, Chase Brandon, disse: “Não era a droga de um balão meteorológico. Era sim o que as pessoas achavam que era, quando encontraram aquilo. Aquele objeto claramente não era deste planeta”. O que fez Brandon chegar a esta conclusão, ele mesmo explica: “Um dia, eu estava caminhando pelo local até que uma caixa me chamou atenção. Ela tinha uma só palavra escrita nela: Roswell. Eu a abri, dei uma olhada e disse: Meu Deus, aquilo realmente aconteceu". O mais intrigante, é que ele diz ter lido documentos e visto fotos que estavam dentro da caixas, mas, não especifica, negando-se a revelar o conteúdo dos documentos e das fotos. Ele termina dizendo: “Aquele momento validou tudo o que eu acreditava”.  Há teclados feitos de silicone, não dá para moldar, mas, dá para enrolar, prender com um elástico. Mas, tudo indica que o monitor, mostrador, display, etc, ficará cada vez mais fino, até sumir, para ser projetado em forma de algum tipo de holografia, se o seriado Star Trek preconizou o celular na década de 60, o cinema já preconizou a projeção holográfica, em várias produções.