Aniversário Do Dragão

       Os otimistas, quando aniversariam, devem pensar: "graças a Deus, mais um ano de vida", já os pessimistas pensam: "um ano mais velho". Independente de gostar ou não de comemorar o aniversário, esta data sempre é um momento de reflexão, um balanço sobre a própria vida. Para as crianças, aniversário, é sinônimo de presente, desde que não sejam roupas, se todo adulto já foi criança, por que alguns insistem em dar roupas, mesmo sabendo que eles mesmos odiavam receber roupas no aniversário, quando eram crianças. Sempre lembramos do primeiro aniversário, aquele que já tínhamos alguma consciência de que algo era feito para nós, protagonistas do evento, data muito aguardada, na qual esperávamos receber algum presente que desejávamos, mas, todo presente, desde que não fosse roupa, era bem-vindo. Aquela velinha misteriosa em cima do bolo, que depois que assoprávamos, voltava a acender como num passe de mágica, nem uma outra vela fazia aquilo, só a nossa, do nosso aniversário, os anos passavam, aumentava mais um dígito nas velinhas, sabíamos agora que a pura ciência as fazia reacender, mas, não fazíamos questão de saber exatamente o processo químico envolvido, nem sabíamos onde nossa mãe as comprava, podia ser naquele bazar, certamente era lá, mas, das tantas vezes que estivemos lá, comprando artigos de papelaria, nunca ousamos perguntar das velinhas de aniversário, afinal, ninguém compra as velinhas do próprio aniversário. Mas, no decorrer da primeira festa marcante de aniversário, sempre esquecíamos de desvendar este mistério, era mais importante curtir a festa, dar uma olhada nos presentes, comer os salgadinhos, doces e brigadeiros. Geralmente, esta festa marcante acontece com a velinha marcando um só digito: 5 anos. Não importa, mesmo se chegarmos aos 3 dígitos, 100 anos, mesmo que sejamos pessimistas, mesmo que alguém insista em fazer um bolo de aniversário ou comprá-lo para nós, mesmo sabendo que algumas alegrias da vida são tão passageiras, estas velinhas que reacendem, depois que a sopramos, sempre trarão um resquício de magia, quando realmente acreditávamos que aquele pedido que fizéramos, depois de apagar a velinha, realmente seria atendido. Se uma velinha podia reacender depois de apagada, nosso pedido não seria apagado, seria sempre lembrado a fim de se concretizar.