Freddy Krueger, Privada Temática, Um, Dois, Melhor Pegar Papel Higiênico


       Privada temática de gosto muito duvidoso, provavelmente, funcione em casos de prisão de ventre. Aquele bordão: “Se borrar de medo”, agora faz mais sentido do que nunca. A verdade é que poucos ficarão à vontade ao usar a privada, não importa que seja o número 1 ou número 2.  A franquia, “ A Hora Do Pesadelo”, fez um enorme sucesso no Brasil, e no mundo, assustou milhões de espectadores no cinema e na televisão. O protagonista vilão, Freddy Krueger, aparecia nos sonhos, ou melhor, nos pesadelos, se a pessoa morresse no sonho, morria no mundo real também.  Enfrentar o Freddy era tarefa difícil, precisava segurá-lo dentro do sonho e acordar, no mundo real ele perdia seus poderes, deixava de ser sobrenatural, tornando-se mortal. Outro meio de enfrentá-lo, era tendo o controle do próprio sonho.  O termo usado para isso é “Sonho Lúcido”, o que significa que a pessoa tem consciência de estar sonhando, pode controlar o cenário, virtualmente, fazer o que quiser, afinal, é um sonho. Que eu me lembro, apenas uma vez eu tive consciência que estava num sonho. Uma outra forma de se combater o Freddy era partir para o enfrentamento, quando mais medo a pessoa sentia, mais Freddy se fortalecia, ele se alimentava com o medo de suas vítimas, ter coragem dentro dos sonhos o enfraquecia. Uma coisa que eu aprendi com os pesadelos, é sempre enfrentar aquilo que está nos perseguindo, não importa o quão grande e feio seja. Se a pessoa não partir para o confronto, no sonho, poderá ter sonhos recorrentes pelo resto da vida. Lembro de ter lido um relato de uma mulher que sempre sonhava estar sendo perseguida por um homem, o qual ela não conseguia ver o rosto, o pesadelo a perseguia por anos,  pesadelo recorrente, então, orientada pelo psicólogo, ela partiu para um enfrentamento, entrando em luta corporal como o tal homem, no sonho, ela nunca mais teve o pesadelo recorrente de novo.  Contra seres sobrenaturais de pesadelos, perseguidores, o enfrentamento no sonho, mostrou-se eficiente. Quando temos pesadelos, acordamos,  repentinamente, desorientados, cansados física e psicologicamente. Sonhei um sonho ruim é muito redundante, tive um pesadelo soa melhor, dentro do pior. Voltando ao Freddy, dois outros dos seus pontos fracos eram a água benta, fogo (o que causou sua morte humana) e espelhos, como ele controlava os pesadelos,  ele não deixava que nenhum espelho aparecesse. Freddy  não era um narcisista, muito menos um metrossexual, qualquer vendedora de cosméticos que aparecesse em seu sonho não seria bem recebida.  No primeiro filme da franquia, “ A Hora do Pesadelo”, 1984, aparece o ator, em início de carreira, Johnny Depp, noutro filme da franquia, o terceiro, aparece, a também  atriz iniciante, Patricia Arquette. Freddy apareceu algumas vezes na bandeira da torcida do Flamengo, devido a sua camisa rubro-negra, Freddy, é o mascote não oficial do time. O cinema fez o terrível confronto entre Freddy Krueger e Jason Voorhees , Sexta-Feira 13, aquele mesmo, com a máscara de esqui, por falar em Jason, ele foi adotado como mascote não oficial do tricolor paulistano, São Paulo. Por que não realizar um confronto mais maniqueísta, o bem contra o mal, Freddy Krueger versus Wolverine, ambos têm garras.  Freddy é  um ícone dos anos 80, filmes de terror para um público alvo jovem, quando os filmes de terror realmente assustavam, o rock'n'roll brasileiro era muito melhor e os heróis e vilões de Hollywood também. Claro, nunca é bom generalizar, a computação gráfica trouxe efeitos impressionantes, mas, sem um bom roteiro, não há computação gráfica que dê jeito. Para os mais saudosos, tinha aquela musica irritante e atemorizante:

“Um, dois, O Freddy te pega depois,
Três, quatro, é melhor trancar a porta.
Cinco, Seis, Agarre seu crucifixo,
Sete, oito, fique acordado até tarde.
Nove, dez, não durma nunca mais" .