Louva-a-Deus, Infidelidade Não Louvável


       O acasalamento do louva-a-Deus é um dos mais bizarros e sinistros da natureza, tenso para dizer o mínimo. Carnívoros e praticantes do canibalismo, durante a aproximação do macho a fêmea fica em estado de alerta, ele pode ser confundido com um inimigo, se essa aproximação por trás tiver exito, começa a cópula, a fêmea é maior que o macho. Como os machos não trazem pizza nem convidam as fêmeas para um jantar romântico a luz de vaga-lumes, durante a cópula, as fêmeas sentem uma fome terrível, então, vem a parte tensa, durante ou logo a após o acasalamento a fêmea devora a cabeça do macho, a explicação é que as fêmeas de louva-a-Deus precisam de proteína para a formação dos ovos, e o macho é a proteína mais próxima disponível nesse momento.  Outro dado tenso é que o macho continua a cumprir sua missão mesmo sem a cabeça, ele pode perder a cabeça logo no início da cópula ou em seguida ao término. Ele começa a ser devorado pela cabeça, perde a cabeça literalmente pela louva-a-Deus-fêmea. Pelo fato de partes de seu corpo serem regidas pelos gânglios abdominais, o louva-a-Deus macho cumprirá sua missão de acasalar, mesmo perdendo a cabeça logo no começo do acasalamento. Nem mesmo o Rambo cumpriria tão missão.  Nem todo louva-a-Deus tem a cabeça devorada pela fêmea, durante  durante a cópula, alguns conseguem escapar com cabeça. O Mantodea, mais conhecido  pelo seu nome popular: louva-a-Deus, tem esse nome por parecer que está rezando, mas, na verdade, ele está imóvel esperando para atacar a presa e, ao mesmo tempo, evitando ser visto por predadores. Quando dois  machos se esbarram, caso um não vá embora, começa uma luta UFC  mortal, sem regras, e sem Octógono, onde o perdedor é morto e devorado. Os gladiadores faziam a mesma coisa, mas sem o canibalismo. O louva-a-Deus é capaz de enfrentar qualquer animal com até três vezes seu tamanho, possivelmente até um rato. O louva-a-Deus é cultuado na china e tem seus  movimentos adaptados para um dos estilos do Kung Fu. O comportamento de núpcias do louva-a-Deus é tenso, sinistro e bizarro para o nosso padrão mamífero e de seres humanos. É o instinto de procriação (mas, não de sobrevivência do macho) levado ao extremo, devido a maioria dos insetos ter uma existência breve, muitos morrem logo após se acasalarem ou botarem ovos, esse mecanismo  de procriar, mesmo colocando a própria existência em risco, é muito urgente e importante para eles. Claro que o cartum do post passa a mensagem que seria quase impossível para o louva-a-Deus disfarçar seu adultério, embora, ele consiga terminar a cópula sem a cabeça, não conseguiria voltar para casa decapitado, primeiro por não encontrar o caminho, segundo, somente as baratas conseguem viver até uma semana sem a cabeça, não que ele demoraria uma semana para voltar para casa, mas, essa sobrevida sem cabeça termina algum tempo depois do acasalamento, um outro fato, como dito anteriormente, a fêmea é maior do que o macho.  Claro que o cartum dispensa exatidões métricas e proporções. Ficou engraçado demais o cartum (não para o louva-a-Deus macho, é verdade...). Aposto também que tem muito homem lendo essa postagem e agradecendo por não ter nascido louva-a-Deus .O “detalhe” de estar sem a cabeça facilitou, e foi a prova da infidelidade, da traição do louva-a-Deus macho. A fêmea não precisou nem descobrir marcas de batom, nem checar recados no celular, nem o louva-de-Deus podia dizer que estava jogando futebol ou bebendo com os amigos, mesmo porque, os louva-a-Deus não têm amigos, enfim, nenhum álibi ou desculpa para o louva-a-Deus macho. No caso do louva-a-Deus macho, pior do que ser pego com as calças na mão, é ser pego sem a cabeça. Quando ouvirmos a máxima de que um homem pode perder a cabeça por uma mulher, no caso do louva-a-Deus macho isso pode acontecer literalmente.