A Princesa Da Preguiça


       Sempre que se digita, com um copo de café perto, suco ou outro líquido qualquer, precisa-se estar atento, a distração ao estar em frente ao computador vai deixar o café frio e o refrigerante quente. Há sempre o risco de derrubar tudo no teclado, sofá, cama, sem contar que um copo esquecido perto, mesmo que por pouco tempo, pode atrair formigas, principalmente, se for leite com chocolate. A digitação ou teclar, no caso dos homens, não pode acontecer ao mesmo tempo em que se toma café ou outro líquido, ou se digita, ou se toma o café. Até se pode tentar tomar café segurando a xícara com uma mão, enquanto se tecla com a outra mão livre, mas a cena é por demais ridícula, sinceramente, atrapalharia tanto apreciar o gosto do café, suco, como também diminuiria a velocidade da digitação, e a própria concentração. A maioria de nós, digita, faz uma pausa, toma o café, suco, ou qualquer outro líquido, enquanto observamos o que estamos digitando. O que acontece, muitas vezes, é que acaba sobrando o resto no copo, que nos esquecemos de tomar, por não estar mais termicamente adequado para tomar, o resto de suco, até se dá para tomar, mas, café quando esfria, é praticamente, impossível de beber, a não ser que a pessoa goste de café frio. Para isso inventaram o sorvete de café. O café requentado nem é feito na hora, nem é frio, é um estado intermediário aceitável.  A personagem da foto do post encontrou uma solução criativa e anatômica, para poder teclar com as duas mãos livres, desde que não demore muito, porque haverá a troca de calor entre os corpos, a latinha vai esquentar e a pele do corpo esfriar,  até existir o equilíbrio térmico, mas, o objetivo do blog não é explicar as leis da termodinâmica.  O que muitos podem estar pensando  que é o caso de preguiça em nível: 99. Na verdade, ela encontrou um jeito cômodo e confortável de improvisar um porta-copos. O que muitos fazem, quando estão comendo e assistindo televisão ao mesmo tempo, é usar o colo como um porta-prato. Não é uma questão de preguiça de se comer à mesa,  é que nem sempre há uma televisão na cozinha e uma poltrona é muito mais confortável do que uma cadeira.  Como na foto há uma almofada com a bandeira da Inglaterra, não tem como não lembrar da realeza britânica, então, achei que um título conveniente para o post seria:  “A Princesa Da Preguiça”. Poderia também ser Princesa do Improviso. Como há o ditado que diz: “Em nossas casas somos reis”, podemos ser também reis e rainhas, príncipes e princesas, inclusive da preguiça e comodidade. Se existe o ócio criativo, segundo Domenico De Masi, ficou provado que a preguiça também pode ser criativa. Muitas das invenções surgiram da necessidade de conforto. Quem nunca pensou em ter uma máquina de descascar laranjas, igual aquelas que existem nas feiras. Quem nunca sentiu preguiça de se levantar da cama que atire a primeira pedra, ou o primeiro travesseiro. A preguiça é um dos sete pecados capitais. Alguém deitado na cama, com raiva, entupindo-se de chocolate, que não quis dividir com ninguém, estará comendo os pecados da: Preguiça; Ira; Gula; Avareza, se sentir orgulho disso ainda recai no pecado da Soberba.