Eu Nasci Há 200 Mil Anos Atrás, Neandertallica


        Rasurar livros é algo muito ruim. Um livro que pode servir para alguém da próxima turma, fica inutilizável do ponto de vista de transmitir o conhecimento, seja por páginas arrancadas ou adulteração de uma ilustração, deturpando-a. Até mesmo os pichadores, se bem que não todos, respeitam um grafite bem feito numa parede. Aqueles que picham em cima de um grafite são os que não tem capacidade para fazer igual, então,  procuram destruir, motivados pela inveja. No exemplo acima, ou melhor, no mau exemplo, bastaria o menino desenhar com uma caneta num papel, aproveitando a ideia que ele teve, a ideia em si é boa, onde ela foi idealizada, concretizada que foi o erro. Imaginem o mesmo desenho, mesmo feito em caneta esferográfica azul, num sulfite branco, poderia ser postado em vários sites dedicados aos artistas, ilustradores, arte-finalistas, como o DeviantART, por exemplo. Ele aproveitou o Neandertal e o Metallica, dando origem a Neandertallica que teria feito muito sucesso  há 200 mil anos atrás, superando, inclusive, Raul Seixas, em 190 mil anos. Há uma pequena discussão se o Neandertallica começou Thrash e, posteriormente, fez algumas músicas Heavy, ou se pode considerá-los, defini-los como uma banda Thrash, pelo menos nos primórdios, seja como for, foi um banda de metal. O primeiro single deve ter sido: “Eu Nasci Há 200 Mil Anos Atrás”. O nome da banda é uma coisa, a origem dos integrantes é outra. Se fosse pela origem, os Neandertais teriam muito mais em comum com a Banda Scorpions (embora eles cantem em inglês) e o Rammstein, pois Neander é o nome de um Vale, na Alemanha, e “tal” significa Vale, em alemão. Os integrantes do Neandertallica não são de Los Angeles, Califórnia. No antigo Egito, alguns faraós tiveram seus nomes apagados, rasurados na parede, isso era considerado uma humilhação muito grande, inclusive, com repercussões na suposta outra vida. Ter o nome riscado da história, ou melhor, das paredes. Foram encontrados desenhos difamatórios obscenos, fazendo referência  reputação de um faraó e uma rainha. Nós que pensamos que desenhos obscenos em portas de banheiros, muros e paredes das escolas foi invenção da nossa sociedade "moderna", os trolls egípcios já tinham feito antes. Com o advento da internet e o fato das pessoas passarem muito mais tempo na internet do que no banheiro, os trolls descobriram na grande rede um terreno promissor para suas atividades de trollagem.  Voltando a foto do post, esse menino com certeza gosta de fazer desenhos de crânios e de bandas nas últimas folhas do caderno, talvez, pequenos desenhos nas margens, infelizmente, ele extrapolou do caderno para o livro. Quem sabe ele tire o Neandertallica do papel, ou melhor, do livro, faça uma banda de garagem, post um vídeo no Youtube que bombe, ganhe dinheiro com o Adsense para Youtube, venda músicas num site, com uma parte do dinheiro poderia comprar livros e doá-los, claro, sem adulterar ou riscar as ilustrações. Isso seria uma bela redenção e exemplo. Eu sei que seria um pouco de otimismo demais da minha parte, mas, com se diz, sonhar não paga nada. Isso de colocar bigode de Salvador Dalí, chifres, dentes de vampiros em imagens é trollagem do tempo das revistas e jornais impressos.