HUB USB, Um Benjamim de portas USB


        A expressão:  “Até explicar que focinho de porco não é tomada...”, serve para tentar dizer que algumas situações são difíceis, complicadas, demoradas e quase impossíveis de se explicar. Algumas vezes, essas máximas populares são transformadas em produtos. Há realmente um benjamim em formato de porquinho com vários focinhos para plugs, na verdade, o corpo é de porquinho e com várias entradas para plugs. Mas não é essa foto que ilustra o post, a foto do post é a respeito de um multiplicador de portas USB, também chamado de HUB USB, na verdade, é um benjamim  de porta USB. Agora, pode-se dizer também: “Até explicar que focinho de porco não é porta USB”. O porquinho, que sempre foi sinônimo de cofrinho e de economia, agora usado como agente multiplicador de portas USB. Há uma infinidade de HUBS USB em diferentes formatos para vários gostos, até em formato de tulipas. Para os mais saudosistas tem um em formato de FITA K7, bem retrô, anos 80, inclusive com a caixinha. É bem interessante esse da FITA K7, porque vem escrito na “lombada” da caixinha: TOP HITS, e, na “fita K7”: 80’s. Tem até aquelas linhas para escrever as músicas do Lado A e Lado B. Quem viveu essa época analógica ficará procurando um  toca-fitas, para saber que hits dos anos 80 estariam gravados nessa fita cassete (já que o lugar para escrever as músicas está em branco). As novas gerações nem sabem o que foi a fita K7, um jeito fácil de tentar explicar,  é dizer que o walkman é o pai ou tio do iPod, pensando bem, isso não explicou muita coisa, melhor é fazer uma pesquisa no Google.  A relação entre fita cassete e caneta também é difícil explicar, a caneta servia para acertar e rebobinar a fita, principalmente no Walkman, porque se economizava pilha. A caneta era rodada dentro do buraco da fita cassete ou a fita cassete era rodada em volta da caneta. Algumas vezes, a fita embaralhava dentro do toca-fitas, igual chantilly espremido por confeiteiro. Sem contar que quando se queria gravar uma música preferida, claro, quando tinha algum especial de alguma banda ou quando a rádio anunciava que iria  tocar os 100 clássicos do rock, não é que o locutor falava no meio da música, óbvio, ele fazia isso por pura sacanagem, pois ele devia muito bem saber que pessoas estavam gravando. Quanto a porquinha benjamim de porta USB, além de ornamentar, ser criativa e divertida vem suprir essa demanda de portas USB, sempre parece que tem mais dispositivos do que portas disponíveis. Eu não sei onde o HUB USB porquinha e seus filhotes pode ser adquirido.