Skate Na Melhor Idade, Uma Ideia Mais Perigosa Do Que Radical


        Eu não sou contra esporte radical na terceira idade, pelo contrário, mas, onde estão os equipamentos de segurança tais como: capacete; joelheira; cotoveleira; wristguard ( ou protetor de pulso); protetor de coluna, luvas,  etc. Provavelmente ele deve ter pego o Skate do neto. A verdade é que ele está com dificuldade motora nas pernas, o que seria resolvido com uma cadeira de rodas, dependendo do grau, até um andador poderia ajudar. Mas, espera um pouco, ele já está usando duas bengalas e pode ficar em pé, então, ele só arrumou um jeito de andar mais rápido usando as bengalas.  A solução encontrada, apesar de prática, leve e versátil, é o caminho certo para uma bacia quebrada, fratura, principalmente no crânio. Quando a retirada daquele tapete do banheiro, da mesinha de centro e tudo o mais é altamente recomendado para evitar um tombo, o Senhor Fugiro inventa um meio extremamente perigoso de locomoção. Nem o Senhor Miyagi, do Karate Kid, que era antenado com a moda e a juventude dos anos 80, aprovaria essa ideia. A não ser que o Daniel San precisasse vencer o campeonato de Skate, depois de ter sido surrado por uma gangue, nesse caso teria um propósito maior, e seu Miyagi, ajudaria com as técnicas de equilíbrio, concentração deixando a parte dos tombos para o Daniel San, afina, ele era mais novo. Talvez a ideia possa ser aproveitada, com todos os equipamentos de segurança, claro, para unir o Skate com o Esqui, Skiti ou Eskate. O difícil será explicar para o ortopedista: “Meu vô (ou pai) caiu do Skate”. A ideia é inovadora, criativa, mas, extremamente perigosa, mesmo com equipamentos de proteção. Se repararmos na expressão dele, ele está com expressão de quem foi pego fazendo algo perigoso ou que não deveria estar fazendo. É bem possível que a família nem saiba, claro, com exceção do neto que deu por falta de um Skate, talvez ele more sozinho, comprou o Skate e uma bengala a mais por achar a velocidade de andar a pé usando bengala muito lenta e resolveu dar uma agilizada com o Skate. Um tombo é péssimo nessa idade e pode fazer a pessoa nem poder ficar mais em pé, aliás, um tombo é péssimo em qualquer idade, mas pior quando os ossos estão mais frágeis e o tempo de recuperação mais lento. O verbo cair só é engraçado numa ocasião: quando caímos na gargalhada, mas há pessoas que acham graça quando veem a queda de alguém, se isso não for verdade, por que as videocassetas fazem sucesso.