Regras Para Freelancers

        Muitos profissionais trabalham como Freelancers, nas mais diversas áreas, quem ainda está ligado pelos vínculos empregatícios sonha em um dia rompê-los, tornando-se um Freelancer ou um empreendedor. Trabalhar somente nos projetos que se queira, liberdade flexibilidade de horários. Independência, flexibilidade, liberdade, autonomia são palavras cativantes e inspiradoras. Nem tudo são flores para os Freelancers, pode haver períodos que os projetos se tornam mais escassos. Nos fóruns de arte-final, e afins, eles usam a gíria Freela ou Frila (mais aportuguesada) para discutir projetos, orçamentos, etc. A internet e os dispositivos móveis de última geração se tornaram grandes aliados dos Freelancers, escritórios virtuais, estúdios virtuais, executar um trabalho de onde se estiver. Freelancers e a Internet viraram um casamento sem possibilidade de divórcio. Eu achei essa tirinha feita pelo Grant Snider, para o Red Lemon Club, simplesmente, fantástica. São as regras para Freelancers, mas, como os Freelancers são movidos pela liberdade, é melhor pensar não como regras, mas como dicas ou conselhos. Essa dicas, não só servem para Freelancers, servem para quem está a procura de ser criativo, buscando inspiração ou um insight. A parte que aborda o código de vestimenta é muito engraçada, diferentemente, do código de vestimenta das empresas corporativas, o Freelancer se dá ao direito de ter o seu bem informal. A tirinha também aborda um tema que se deve ter muito em consideração, a disciplina, principalmente, quando a casa se torna o local de trabalho. Tem uma dica muito importante, nas entrelinhas, se formos prestar mais atenção, o cachorrinho de estimação aparece sempre perto. O que seria uma outra dica: "Tenha um animal de estimação: cachorro, gato, peixe, porquinho da índia, etc". A parte de não ter medo de promover o trabalho é muito interessante, com a internet, os blogs e sites, qualquer pessoa do mundo pode ter acesso ao seu trabalho ou ideia. Antigamente, tudo girava em torno de apadrinhamentos ou dependia de alguém levar seu trabalho e apresentá-lo para a pessoa "certa". Muitas vezes, os funcionários responsáveis por essa triagem, ou aqueles que recebiam portfólios ou fitas demos vindas em correspondências, não as apresentavam ou sumiam com elas, apresentando, no lugar delas, as dos seus protegidos ou conhecidos. Por inveja ou por motivos outros, no passado,  muitas pessoas competentes não viram a fama nem tampouco o dinheiro. Felizmente, a Internet detonou essa intermediação, esses atravessadores, acabou com essa humilhação e injustiça. Quem for competente, criativo usa a internet como vitrine para o seu trabalho, dizendo ao mundo todo: "Estou aqui e esse é meu trabalho". "Aqui está o meu e-mail para contato". Com a internet, hoje, será praticamente impossível alguém puxar o seu tapete, não estou dizendo que não tentarão, mas, o máximo que vão conseguir, é puxar o tapetinho do computador, ou seja, o mousepad.