Caso Roswell, 66 Anos. Mais de 66 Perguntas.

foto: divulgação
foto: divulgação
        O Doodle do Google, em forma de um jogo intuitivo, lembra o 66° aniversário do incidente com OVNI ou UFO em Roswell, Novo México, Estados Unidos, 8 de Julho de 1947.  Esse é o caso mais emblemático da ufologia mundial, assim como o ano de 1947. As autoridades chegaram a divulgar que estavam de posse de um disco voador, mas, 24 horas depois, emitiram um desmentido, dizendo que tratava-se de restos  de um balão meteorológico, onde, o Major Jesse Marcel, visto na foto acima, é fotografado segurando os restos do balão resgatado. A foto é humilhante, imposta pela hierarquia militar de seus superiores. Jesse Marcel, oficial da inteligência, posa segurando os fragmentos do balão, que ele sabia que eram totalmente diferentes dos fragmentos que ele vira e tocara. Isso foi tão difícil e duro de engolir como os fragmentos que ele levou para sua mulher e filhos verem. Ele não acordaria o filho e a mulher para mostrar papel alumínio... Entre os fragmentos dos destroços, havia uma pequena lâmina de metal, a qual mesmo depois de riscada, dobrada, voltava a forma original, não podia ser queimada. Extremamente leve e resistente, provavelmente, fruto de uma  liga metálica desconhecida e nanotecnologia, ou algo similar, isso em 1947. O filho de Jesse Marcel, Jesse Marcel Júnior, na época com 11 anos, foi a criança mais sortuda do mundo, pegou nas mãos a folha de metal indestrutível. Segundo o filme: O Caso Roswell , baseado nos eventos que ocorreram em Roswell, Novo México. Jesse Marcel chega pela noite, acorda o filho e a mulher para mostrar algo extraordinário. Eram partes dos destroços recolhidos. Outra coisa que chamou a atenção do garoto, além das propriedades físicas do metal, foram os símbolos ou sinais que estavam inscritos na borda interna de um outro dos outros fragmentos . Se tivesse ficado com a lâmina indestrutível, Jesse Marcel teria uma prova irrefutável para exibir para quem quisesse ver, e Jesse Marcel Junior, hoje, poderia reivindicar o prêmio de 1 milhão de dólares, que o Museu Internacional Ufológico de Roswell dará a quem trouxer um fragmento de uma nave extraterrestre. Outro fato curioso do filme, é que uma varredura, feita por soldados, não teria deixado fragmento algum na propriedade do fazendeiro Mac Brazel. Deve ter sido a maior catação de fragmentos metálicos da história, mas nenhum dos pedaços foi para a reciclagem. Duvido que poderiam ser refundidos. Depois de muitos anos, o Governo Norte-Americano falou oficialmente sobre o caso, dizendo que se tratava do projeto Mogul, balões meteorológicos de alta altitude para tentar detectar indícios de testes nucleares soviéticos, tentando captar sons de baixa frequência. Havia outra parte que precisava ser explicada ou justificada: os supostos corpos de alienígenas.  Os supostos corpos de alienígenas, segundo o Governo, eram bonecos de testes lançados. O estranho é que durante o incidente em Roswell, o agente funerário, Glenn Dennis, recebeu uma ligação da base aérea, solicitando informações de como conservar corpos que ficaram expostos ao calor do deserto e sobre caixões pequenos. Quando chegou ao local, dizendo ser o agente funerário para o qual o Capitão teria ligado, foi tendo acesso ao local, para se informar do que estava acontecendo,  acaba encontrando uma amiga, que era enfermeira, a qual disse para ele sair imediatamente de lá. No outro dia, ainda muito abalada, a enfermeira se encontrou com Glenn Dennis, numa lanchonete e fez um esboço, numa folha, de um dos seres que estavam sendo autopsiados. O desenho descrevia um humanoide com cabeça e olhos grandes, corpo magro, e quatro dedos. Segundo consta, a enfermeira morreu num acidente aéreo, alguns anos depois. O programa Discovery, Prova Final, reproduziu a queda dos refletores de radar, lançado pelos balões espiõs, numa escala menor, para que o engenheiro de teste e impacto, Robert A. Galganski, pudesse analisar o campo de destroços gerado pela queda. A conclusão foi que o campo de destroços é incompatível com o que  Jesse Marcel vira, ou seja, o projeto Mogul não poderia ter causado um campo de destroços tão vasto e esplhado. Nem mesmo os fios ou sujeira de um refletor de radar aparecem na foto em que Jesse Marcel posa,  sendo obrigado, segurando os destroços, aquilo não era um refletor de radar recuperado, mas sim um novo em folha que fora destruído para ser fotografado. Mesmo depois de 66 anos, o caso Roswell ainda traz controvérsias, recentemente, Richard E. French , ex-coronel  da Força Aérea, afirmou que teriam sido duas quedas, uma delas foi causada por um pulso eletromagnético disparado por um avião experimental dos Estados Unidos. Outro militar reformado, rebate essa alegação, o ex-coronel do Exército, John Alexander, responsável pelo desenvolvimento de armas de pulso eletromagnético, nos anos 80, mas, segundo ele,  foi só nos anos 60 que havia uma arma à laser, mesmo assim com um alcance muito reduzido e não operacional, logo, esse disparo de pulso eletromagnético, em 1947, que teria desestabilizado todo o sistema de navegação do OVNI de Roswell, causando sua queda, nunca aconteceu. Para aumentar o mistério, há um documento oficial do FBI, liberado em 2011, onde o agente especial do FBI, Guy Hottel, (será que tem algo a ver com os personagens do desenho animado, Family Guy?) envia um documento à diretoria do FBI, na versão online, do documento disponibilizado, há dois nomes rasurados, censurados com tinta preta, para resguardar  as identidades deles. O documento diz que foram três quedas, em cada um dos discos havia três seres de aparência humanoide, baixa estatura, trajando roupa metálica de uma textura superfina. Segundo o investigador que descobriu os discos, sendo um dos que tem seu nome rasurado no documento, o outro é o do agente que foi avisado do fato,  a queda dos OVNIS foi causada por um potente radar que existia na região, o qual interferiu no sistema de navegação das naves alienígenas. Alguns pensam que esse documento do site do FBI é desinformação plantada, para confundir, há, inclusive, pessoas dizendo que o documento redigido por Guy Hottel, é baseado em boatos por dois embusteiros. O documento, do site oficial do FBI, pode ser visto no site: http://vault.fbi.gov/UFO/UFO%20Part%208%20of%2016/view (página 34). Para os céticos, os destroços são do balão meteorológico espião, do projeto Mogul, o desenho  feito pela enfermeira, e o telefonema dado ao amigo dela sobre caixões pequenos e conservação de corpos, diz respeito a um acidente aéreo, que realmente aconteceu na mesma época, matando todos os tripulantes na explosão. Será que uma enfermeira confundiria corpos carbonizados com seres alienígenas, principalmente, no detalhe dos olhos grandes, confundiria olhos grandes com as cavidades onde os olhos existiam?. O Major Jesse Marcell, formado em curso de radar, confundiria restos de alumínio com uma liga super-resistente?. Ao que parece, o caso Roswell inaugura o acobertamento oficial, adotado pela maioria dos países. Por que é tão importante acobertar e esconder a existência dos OVNIS ou UFOS?. Acredita-se, pelo menos os governos e agências de inteligências, que caso a existência de discos voadores seja reconhecida oficialmente pelos governos, haja pânico e medo na população, crise nas instituições religiosas, na ordem social, no sistema de crenças, embora em alguns sistemas de crenças, a existência de seres alienígenas seja totalmente assimilada e explicada. Há também uma questão de incompetência mundial das forças armadas. Haveria objetos saindo e entrando da nossa atmosfera, e, nenhum sistema de defesa, de nenhum país, pode impedir esse fato.  Outra hipótese, que deve incomodar, é que tipo de informação esses seres poderiam fornecer e qual seria o impacto. Há também os supostos contatados, tem o famoso contatado, "Billy" Eduard Albert Meier, considerado uma grande fraude, embora, nunca se possa generalizar, Billy tem uma cara de velho safado e gosta de contatar seres extraterrestres do sexo feminino, as Eteias,  Billy, que não é bobo nem nada, não quer saber dos cinzentos reptlianos (teriam sangue frio?), de baixa estatura, com cara de poucos amigos, olhos enormes, segundo alguns relatos, eles têm pele escamosa e não possuem órgãos genitais, os Grays (os cinzentos). Billy prefere fazer contato com as extraterrestres que mais parecem modelos loiras e altas vindas da Suécia. Basta ver as fotos da Asket, a suposta foto que Billy tirou de Asket, e Nera, ambas, na verdade, apareceram num programa de televisão, daqui da terra mesmo. Semjase, que também faria contato com Billy tem uma conta no Facebook, deve ser uma fake, talvez ela me adicione como amigo e me abduza, mas nada de ser chipado com implantes nem exames evasivos. Não estou dizendo que todo contado é uma fraude, há o impressionante caso traumático, de suposta abdução, do lenhador Travis Walton. Ele voltava com os amigos, do trabalho, era para ser só mais uma volta traquila para casa, quando Travis Walton avistou uma luz estranha na floresta, e ao contrário dos seus amigos no carro, Travis entrou na floresta para investigar a estranha luz. Supostamente, abduzido pelos Grays Reptilianos, foi sujeito a vários exames traumáticos. Talvez sejam esses traumas e exames que Billy queira evitar, principalmente, se for algum exame de próstata, e o dedo do Et for igual ao do filme ET, o Extraterrestre, de Steven Spielberg. Segundo a casuística ufológica, nem todo contato de 3º ou 4º grau traz uma experiência positiva para o suposto contactado. Em alguns casos, o contato terminou de forma fatal para o contactado. Segundo o físico Stephen Hawking, o contato com uma civilização mais avançada é maléfico para a civilização menos desenvolvida, basta lembrar o que aconteceu entre os nativos e os colonizadores europeus. Além do domínio da civilização mais avançada, houve a exposição a doenças desconhecidas, com resultado devastador para os nativos. Por que uma civilização tão avançada, ainda utilizaria exames evasivos?. Uma suposta tentativa mexicana de resgatar um suposto objeto não identificado, e seus tripulantes, em território mexicano, teria resultado na morte de todos os envolvidos no resgate, uma missão americana, que acompanhava o objeto pelo radar, teria enviado uma grupo de resgate, violando a soberania territorial, pela fronteira, com roupas para proteção de contaminação biológica, teriam adentrado o território e içado o objeto com helicóptero.  Voltando ao caso Roswell, eu particularmente creio que seja lá o que caiu nos arredores da cidade, um balão não teria causado tanta polvorosa.  Seja lá o que caiu lá, não foi do nosso mundo, muito menos um balão meteorológico, houve um acobertamento, que Já dura 66 anos. Jesse Marcel, até sua morte, lutou bravamente para vomitar esse sapo que foi obrigado a engolir, mas jamais foi digerido. Depois que ele colocou a boca no trombone, muitas outras testemunhas oculares resolveram falar. O tempo é curto, e a cada ano que passa, as testemunhas oculares vão morrendo. Recentemente, Chase Brandon, ex-agente da CIA, que não foi testemunha ocular do caso Roswell, mas, teria obtido acesso a uma caixa etiquetada com o nome Roswell, nas dependências da CIA, nos anos 90, e o que ele viu no conteúdo da caixa confirmara suas suspeitas, de que o que caiu em Roswell, não era uma nave do nosso mundo, mas sim uma nave extraterrestre. Nós, brasileiros e residentes aqui, não precisamos ter inveja, nos temos o nosso próprio Roswell Brasileiro, o Et de Varginha. As testemunhas oculares, três moças simples, viram um ser agachado, com protuberâncias na testa, pele oleosa, careca, não, não era o tio de ninguém. Uma senhora, noutra área da cidade, enquanto se ausentou de um lugar para fumar, relatou ter visto um ser com uma espécie de elmo ou capacete, no escuro, que a encarou por algum tempo. Outro fato é que animais de espécies diferentes, em locais diferentes do zoológico, apareceram mortos. Temos o nosso  projeto Blue Book, versão anos 70, que investigou relatos de OVNIS, batizado de Operação Prato, infelizmente, a cargo do governo da ditadura militar. Digo infelizmente, porque odeio qualquer tipo de governo ditatorial. A explicação oficial, no caso do ET de Varginha, é que o suposto extraterrestre, visto agachado, era um cidadão da cidade, vulgo “Mudinho”, que costumava ficar nessa mesma posição, pegando objetos no chão, Mudinho teria, segundo o documento, desvios mentais. Explicação bem mais original do que a do Caso Roswell, americano. Comparando o retrato falado ou a ilustração feita a partir da descrição do suposto ET, feito pelas três moças, com a foto do “Mudinho”, fica difícil acreditar, mesmo o Mudinho estando sujo ou depois de uma chuva, que se trata da mesma pessoa. Há o relato de um casal de agricultores que disseram ter visto um objeto do tamanho de um micro-ônibus, soltando um tipo de fumaça branca  ou névoa branca, visivelmente, com problemas para se manter no ar. Só faltou colocarem a culpa num balão de São João. Podia ser o motor de antimatéria, fundindo-se ou algum tipo de reparo precisava ser feito. O suposto et, visto pelas moças, poderia estar a procura de peças. Seria difícil ele encontrar peças de reposição para um motor tão sofisticado. Existe um consenso: seja qual for o sistema de propulsão, não é motor a explosão nem usa combustível de foguetes. Nossa ciência já sabe que um sistema de propulsão para viagens longas no espaço, não será feito para utilizar combustível de foguetes. Uma das soluções seria uma vela (semelhante a dos barcos, mas noutro formato) impulsionada por um laser, entre outras soluções ainda não disponíveis. Falam em antimatéria e um sistema que "anula" a gravidade. Segundo o relato do casal, os animais do sítio ficaram alucinados com o objeto estranho, o casal acabou acordando. Aos poucos, alguns países vêm divulgando documentos sobre OVNIS ou UFOS, em chamadas doses homeopáticas. Mas, o que todos querem, mesmo os que acreditam, é ver uma prova contundente, bater com os dedos na fuselagem de uma dessas naves, não importa o modelo, mesmo se fosse do ano de 1947, cúpula não conversível. Sistema de propulsão gravitacional de antimatéria 5000 ou ver um desses seres ou o corpo deles. Daria, inclusive, para adaptar aquela velha e famosa canção americana do Velho Fazendeiro Macdonald:
"O Velho Mac Brazel tinha um Rancho,  ee-I-ee-I-o.
E no rancho dele, caiu um disco voador, ee-I-ee-I-o.
No disco voador, tinha uns extraterrestres..."