Fantasmas, a evolução.


        Sexta-feira 13, de 2013. Para alguns apenas um dia normal, que está se findando, para outros foi um dia não muito bem visto. Aproveitando o tema, não sei quando terá outra sexta-feira 13 com  final de ano 13, pelo menos, daqui a 100 anos, haverá um ano com final 13, 2113. Vendo um calendário do ano de 2113, haverá duas sextas-feiras 13, uma em Janeiro, a outra em Outubro. Se o calendário estiver correto, bom, é o tipo de preocupação para um futuro bem distante, isso para aqueles que não gostam de sexta-feira 13. Eu achei  essa postagem propícia ao dia de hoje, que está terminando. Fantasmas, a evolução.  Nesse infográfico, há uma explicação da evolução dos fantasmas e particularidades deles nos séculos e décadas.  Existem os fantasmas universais, os internacionais e os regionais, algo como o cancioneiro fantasmagórico regional. Alguns dos que aparecem no infográfico foram imortalizados nos quadrinhos e cinema: A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça (1858); Gasparzinho, o Fantasma Camarada (1945); Space Ghost, o Fantasma do Espaço (1966); Motoqueiro Fantasma (1972); Pac-Man (1980); Geleia,  pegajoso e ectoplasmático, compulsivo por comida, dos Caça-Fantasmas (1984); Ghost: Do Outro Lado da Vida (1990) com o fantasma Sam Wheat, interpretado pelo falecido ator, Patrick Swayze. Há os fantasmas de época. A fantasia de fantasma , um lençol branco com dois buracos para os olhos, seria perfeita para iconografia, como aqueles símbolos de: É proibida a entrada de “fantasmas”.  Esse fantasma simbólico do lençol foi amplamente utilizado no cinema, quando algum humano quer assustar alguém. Muito utilizado no Halloween. Os fantasmas podem ser nossos medos, fobias arrependimentos. Não importa se são medos reais ou imaginários, todos temos nossos fantasmas, se não quiser chamar de fantasma, chame de preocupação. Um Conto de Natal, de Charles Dickens, exemplifica bem isso, as visitas dos Fantasmas, e o famigerado: Fantasma do Natal Passado. Todos tentaremos exorcizar nossos fantasmas psicológicos.