Cama Grama

        Essa é a cama mais ecológica já vista e a mais verde também. A cama grama não é o lugar ideal para se guardar grana debaixo do colchão, o banco, instituição financeira, ainda é o melhor lugar, por causa da inflação.  Deitar sobre a grama macia, olhar o céu azul, não seria extraordinário, a não ser que seja nessa cama. Essa cama não precisa ser arrumada, mas precisará ser aparada. Tomar café na cama grama seria, na verdade, um piquenique. Tomar café  e almoçar ao ar livre, mesas, cadeiras são comuns, a cama, porém, nunca sai das dependências do quarto para o quintal ou jardim, a não ser na mudança ou se estiver infestada de cupins.  Será que existe uma cama compacta monobloco de plástico?. O Colchão d'água existe.  Na cama convencional, o colchão precisa ser trocado de tempos em tempos. A dupla cama e colchão é quase inseparável, a separação vem quando o colchão precisa ser substituído. É mais raro substituir a cama, e deixar o colchão, a não ser que ela se quebre. Nessa de grama, esse conceito de cama e colchão não existe. A cama grama, além dos cuidados de poda, está sujeita ao ataque de doenças e pragas. A cama grama não é muito confortável nas primeiras horas da manhã, porque o orvalho ou sereno ainda se encontra depositado nela. O orvalho serenou pela noite ou o sereno orvalhou  pela noite, isso é um pouco poético, mas é mais umidade do que poesia. Seria essa a cama do Jardim do Éden?. Grama ou gramado está muito associado ao futebol, aquele comentário: "parece um tapete" ou quando o gramado está ruim: "cheio de falhas". Imaginar tirar uma soneca na cama grama, num sábado ou domingo ensolarado, quatro horas da tarde, sentindo o aroma da grama, seria uma experiência bem interessante. Essa cama grama contém muitos gramas de grama. A cama grama seria o sonho de consumo dos Hippies, bom, os Hippies eram contra o consumismo. Esse dormitório Flower Power Gramíneo agradaria, sem dúvida, ecologistas, naturistas, naturalistas, nudistas e muitos outros istas. Aviso aos visitantes: não pise na grama, ou melhor, não deite na cama grama. O aviso vale para gnomos, extraterrestres, enfim, para quem não se importar em deitar na relva molhada. Nesse cenário bucólico campestre domiciliar, o famoso pintor francês, Édouard Manet, não pintaria o polêmico: "Almoço na Relva", mas pintaria: Soneca Na Relva.