Dando Sinal Para o Trem

        O maquinista ou condutor de trem presencia muitos acontecimentos estranhos, bizarros e inesperados, ao estilo Acredite Se Quiser. Nesse dia, um acontecimento, no mínimo, hilário. Ele avista um pessoa na plataforma dando sinal, a não ser que ele já tenha sido motorista de ônibus, deve ter estranhado muito.  É bem provável que essa pessoa dando sinal já tenha pego tanto ônibus, que num ato falho ou reflexo condicionado pelo transporte vindo, deu sinal para o trem. A não ser que seja um trem expresso ou trem de carga, os trens param em todas as estações, se ele não parar algo errado deve estar acontecendo. Seria muito estranho ele dizendo que deu sinal para o maquinista, mas o trem não parou. Mais estranho seria ele correr até a janela do maquinista é perguntar se o trem passa em tal rua. O que se poderia concluir é que seria a primeira viagem dele de trem. Nessa mudança de estrada para trilho, ponto de ônibus para plataforma de trem, o transporte continua coletivo, só não precisa mais do gesto individual do sinal.  Se deu sinal para o trem, quando estiver prestes a desembarcar, vai, novamente por reflexo, procurar a “cordinha” ou  botão para dar sinal para descer. Por sorte, ele não está com amigos ou colegas na estação, nessas gafes ou micos costumam nascer apelidos que as pessoas carregam para o resto da vida. Talvez, ele procure o cobrador de trem, na verdade, os trens de longo percurso tinham os bilheteiros que conferiam e controlavam se os passageiros estavam com a passagem ou bilhete, quem não tivesse a passagem, só podia ser clandestino e era convidado a se retirar na próxima estação. Os governos deviam investir mais na malha ferroviária, é um transporte limpo. O maquinista desse trem, contando esse história para os amigos, na hora do almoço, e ninguém acreditando.