Dias mais quentes verão, melhor dizendo, virão.

        Outono/inverno, primavera/verão. Existem os que se adaptam  às estações extremas verão e inverno, sendo, praticamente, indiferentes. Eles vão aproveitar ao máximo o que se pode fazer de bom no frio e no calor. Eu gosto mais do calor ou gosto mais do frio. Prefiro um ou outro. Tolerar o frio, mas aguardar ansioso a chegada da prima, Primavera. Sim, e tem aquele que vai reclamar das 4 estações. Quando está no frio, clama por calor e vice-versa. Reclama do Outono, quando as folhas caem, não quer saber por que  as folhas caem nem por quem os sinos dobram, talvez, tão mau humorado que reclame até da chegada da primavera, e das flores. Para alguns, o clima perfeito seria nem muito frio, nem muito calor, dentro de uma estufa. Em dias de frio ou calor, sempre tem aqueles comentários: Como está frio!; Que dia quente, hoje. Parece que a sensação térmica até aumenta ou diminui, quando as pessoas repetem que está um dia muito quente ou frio. Quem está perto pensa, mas não diz, por uma questão de educação: “Que novidade!”. Para quem está odiando o frio ou calor, essa reconfirmação do óbvio térmico deve ser irritante. Depois de dias de frio, faz sol no sábado, se a sorte for grande, faz sol no domingo também. O que costuma ocorrer é que faz uma semana ensolarada, e no fim de semana tempo ruim. Aos fins semana, quando o tempo está ruim, frio e chuvoso, a sensação de culpa por estar na internet, praticamente, desaparece. Mas naqueles fins de semana, ensolarados, ficar de manhã, e depois das 16:00 horas da tarde, faz um sentimento de culpa bater na alma. Para minimizar essa culpa, melhor ficar na internet nos períodos que se deve evitar o sol, devido aos raios ultravioletas que são prejudiciais em certas horas do dia. Essa tirinha do post evidencia o estado de descontentamento e insatisfação, que algumas vezes parece ser contínuo, claro, demonstra uma compulsão por internet. Na internet não tem tempo ruim, a não ser que se fique sem conexão. Há também uma redundância na argumentação da tirinha, mas como recurso enfático é válido. Claro, só se pode sair para fora, sair para dentro seria bem estranho. Mas o fora, nesse caso, é um dia ensolarado, e a linguagem reproduzida é falada ou oral. Desci a descida e subi a subida. Sonhei um sonho. Não seria tão grave como naquele grave e conhecido caso: Eu vi ela, na viela. Quando o correto é: Eu a vi.