Pense Por Si Mesmo.

        Esse é um pôster motivacional.  Creio que seria mais para reflexão. A mensagem, numa tradução livre, diz: “PENSE POR SI MESMO”; “SEUS AMIGOS PODEM ESTAR ERRADOS”. Poderíamos desdobrar essa tradução em:  “VAI PELA SUA CABEÇA, NÃO PELA CABEÇA DOS OUTROS”. Ou ainda: “MARIA VAI COM AS OUTRAS”, esta já consagrada pelo ditado popular. Quem vai pela cabeça dos outros é piolho. Embora o público alvo da mensagem seja, provavelmente, alunos, o campo de ação ou o espectro que a mensagem atinge é muito amplo e independe da idade. Serve para qualquer um que segue os outros, sem se questionar, sem pensar por si mesmo. Aquele que não pensa por si próprio e segue a maioria. É verdade que a mensagem ficou agressiva, contundente, direta e incisiva. Tanto o personagem que aparece em primeiro plano, pensando por si mesmo, quanto os outros em segundo plano, atirando-se no precipício, são lêmingues, pequenos roedores que habitam a Escandinávia e as regiões perto do Polo Norte. Por algum motivo, eles ficaram parecidos com ursos, talvez, o ilustrador resolveu “ursificar” os lêmingues pelo fato de todos conhecerem muito mais a aparência do urso do que a do lêmingue. Todos sabemos como é um urso de pelúcia, mas quem já viu um lêmingue de pelúcia?. Mesmo nos desenhos animados, o lêmingue não ficou assim tão famoso e conhecido. Se o Mr  Bean visse esse pôster, acharia que os lêmingues são muito parecidos como seu urso de pelúcia, o Ted. Apesar de eu nunca ter visto um lêmingue, ao vivo, eles se parecem um pouco com um porquinho-da-índia, estes eu já vi, ao vivo, criei-os como animais de estimação, quando eu era criança. Estou supondo que o ilustrador ou quem concebeu a ideia e disse para ao ilustrador realizá-la, achou que os lêmingues “ursificados” seriam reconhecidos imediatamente. Por que estou tão certo que são lêmingues, e não ursos?. Esse fato do “suicídio” em massa, o tema central do pôster, que é a metáfora para o que pode acontecer de mau, quando se segue os outros, representado por  uma espécie se atirando de um precipício, embora seja um mito, refere-se aos lêmingues, não aos ursos. Só para ficar claro, o que é um mito é o suicídio dos lêmingues, não eles caírem do precipício, essa queda, realmente, ocorre. Eles realmente caem mesmo. Segundo os etólogos, que estudam o comportamento dos animais, não é um suicídio em massa, mas, uma corrida desenfreada e confusa, onde centenas de lêmingues, num empurra-empurra  fatal, acabam despencando do desfiladeiro para a morte trágica. Sempre que há uma superpopulação de lêmingues, que em questão de procriar parecem coelhos, eles migram, desenfreadamente, alucinadamente, numa corrida desordenada, onde os que estão atrás vão empurrando os que estão na frente. Parece não haver tempo par se desviar ou voltar, a reação é em cadeia e fatal. Outro acontecimento que reforça o mito do "suicídio" é que muitos lêmingues tentam atravessar trechos a nado, mas acabam morrendo afogados. Nesse ponto, seria o mesmo que estar num estádio de futebol, num show, na pista (gramado coberto com tapumes), onde os que estão atrás empurram os que estão na frente, a diferença é que não se cai num precipício, mas se morre esmagado no alambrado. Essa maratona da morte ou empurra-empurra da morte é, infelizmente, um fato para os lêmingues,  e as centenas que caem do precipício não o fazem intencionalmente, não se suicidam, é um acidente. Ao que parece, o ser humano continua a ser a única espécie a cometer o ato extremo de tirar a própria vida. A mensagem do pôster é muito válida: Pense por si mesmo. Seus amigos podem estar errados. Informar-se e questionar a informação, apesar de não estar na mensagem, não deixa de ser válido.