Chocólatras: Um Tablete... Nunca é o Suficiente.

        Essa  foto ficou parecendo aquelas fotos de políticos no gabinete, despachando.  Só se fosse em Chocolatópolis, cidade fictícia, onde eu seria o prefeito, governador, claro, elegido democraticamente pelo povo. Eu pensei noutra legenda para colocar nessa minha foto: o que me inspira a escrever, algum mote relacionado ao humor. Pensei também em: "tablete de chocolate é para os fracos". Achei melhor fazer uma homenagem aos chocólatras, viciados em chocolate, grupo ou comunidade da qual eu faço parte. Para os chocólatras, quando alguém oferece um só tablete, um pequeno retângulo ou quadrado, é quase uma ofensa, o chocólatra aceita por educação, mas, lá no fundo, pensa: “É melhor não comer nada, do que comer só esse pequeno pedaço. Podem nos acusar de um dos sete pecados capitais: a gula. Para aqueles dias nublados e chuvosos ou mesmo num dia de céu azul e ensolarado, mas que o chocólatra esta na fossa, por algum motivo, o chocolate traz um tipo de satisfação e prazer que é difícil descrever. Seria o chocolate um tipo de antidepressivo sem tarja preta?. Seja como for, o chocolate só invoca lembranças alegres e felizes. Um fato que os chocólatras acham inacreditável é que existem pessoas que não gostam de chocolate. "O quê?!. "Você não gosta de chocolate?". O chocólatra conhece todos os tipos de bombons, embora sejam sortidos, não importa a marca, eles sabem o sabor de cada um, ingredientes e, principalmente, eles têm uma memória palatina impecável. Não sossegam enquanto não comem o último bis da embalagem, não sossegam enquanto não restar só a embalagem dentro da caixa de bombons, enfiam a mão dentro, procuram, só restam as embalagens, missão cumprida.  Alguém já viu chocólatra esquecer bombom na caixa?. Se aconteceu, é muito raro. Os chocólatras têm sempre os seus bombons preferidos, os bombons top, então, ou comem primeiro os que mais gostam, deixando alguns poucos para o fim, os que eles gostam menos por último ou, na segunda tática, comem os que menos gostam primeiro. No meu caso, eu  deixava o bombom crocante e o de banana por último. Eu não vou comer a  barra de chocolate da foto sozinho, ela foi repartida, mas, se eu morasse sozinho, não sei quanto tempo ela duraria. De uns tempos para cá, tenho sido um chocólatra mais moderado, comendo com moderação. Para um chocólatra, claro, uma barra de ouro vale mais do que uma barra de chocolate, mas o valor degustativo  agregado na barra de chocolate tem um apelo poderoso para o chocólatra. Posso dizer, com certeza, que esse post foi inspirado no chocolate. Na verdade, enquanto escrevia esse post, estava comendo o chocolate que aparece na foto. Não foi minha intenção fazer ninguém ficar com vontade de comer chocolate. Antes de repartir  a barra de chocolate, veio a ideia de fazer um motivacional ou desmotivacional (se fosse está fazendo regime será desmotivacional), não sei, às vezes, eles se confundem, eles têm, porém, sempre uma certa ironia envolvida.