De Boa. Dando Um Rolê Na Prainha Doce

        Eu não sei de onde é a foto, apesar de termos as mais belas praias do mundo, aqui, no Brasil, também improvisamos praias às margens de rios doces e represas. A querida Prainha Doce. No verão, para se refrescar quase tudo é válido. Não sei por que essa foto me lembrou de: Onde está Wally?. Onde você tinha que achar, na ilustração, o Wally, que  estava perdido entre centenas de outros personagem. Eu tive um ideia, recortar o personagem que aparece na foto do post, colocá-la numa outra foto que aparecem centenas de pessoas e fazer um jogo: “Onde esta o tio de short laranja, sapato e meia?”. Parece que ele está vagando pela praia, meio perdido, como se tivesse sido abduzido por um disco voador e devolvido na praia. Pode ser mesmo que ele goste de olhar o rio, mas tenha aflição de pisar na areia. Mesmo assim, os pés tirarem uma folga do sapato é uma ótima ideia, por isso inventaram os chinelos. A maioria concorda que pisar na areia tanto da praia, como na do rio, é relaxante. Andar na praia, de sapato e meias, faz tanto sentido como tomar banho de chapéu, como diz a música do Raul Seixas. “Caminhando na areia de sapato e meia" soa meio poesia surrealista inspirada por Jim Morrison.(The Doors está entre uma das dezenas de bandas que eu admiro e ouço). “Cavalos-Marinhos na Tempestade”. “Com medo de se secaram”. Quase consigo uma estrofe, faltou só um verso. Não é bom deixar nada pela metade: "Sereias de salto alto a me olharem" "Não me molharem". "Há areia em meus sapatos". "Não há sapatos na minha areia". "A praia não é minha" Acho que já deu!. Voltando a postagem em si. Quebrando as regras dos trajes de banho, destoando da multidão. Não sendo mais um na praia, mas o único, verdade que o único na “prainha” doce a usar sapato e meias. De boa, dando um rolê na praia, meio casual social, meio que quebrando as regras, não se importando como o que os outros pensam. Só não vale molhar os sapatos no rio, isso será micose na certa, depois. Nadar de sapatos, mesmo tirando as meias, também não seria boa ideia. Tenho esperanças de encontrar uma foto de alguém trabalhando descalço no escritório. Existe o Juca Chaves, menestrel do Brasil, compositor, humorista que não trabalha em escritório, mas odeia andar de sapatos, quando vai em algum programa, sempre aparece descalço, aliás, o próprio Juca Chaves diz que faz tudo descalço. O que me leva a deduzir que esse cara da foto faz tudo de sapatos, até parece que nasceu de sapatos, ele é oposto do Juca Chaves.