Como Não Customizar Seu ALL STAR

        Jeans, camiseta e tênis transcendem gerações e nunca saem de moda. Dentre esse três itens, a camiseta ganhou uma roupagem nova no que diz respeito ao tecido com as camisetas tecnológicas Dry Fit, entre outras inovações. Os tênis com sistemas de amortecimento cada vez mais sofisticados, um dia desses eles começam a caminhar sozinhos por aí. O Jeans que passou de lona de cobrir carroças e fazer tendas a brim francês, continua fazendo sucesso sem muitas inovações drásticas. A calça jeans e o CONVERSE ALL STAR se encontraram num belo dia, essa combinação que caiu no gosto de atores que simbolizam a rebeldia e contestação foi rapidamente assimilada pelo público. Embora tenha sido o tênis oficial do basquete americano, o ALL STAR foi estreou no cinema e nos pés de milhares de pessoas, nos Estados Unidos e pelo mundo todo, ainda muito visto em filmes e seriados. Somente os camaradas soviéticos, e os países sob influência de Moscou, ficaram de fora, mas, claro, houve contrabando de calça jeans e ALL STAR para países do bloco comunista, até mesmo músicas pirateada dos Beatles balançaram as cortinas de ferro. O CONVERSE ALL STAR e calça jeans são usados por todas as idades e por ambos os sexos. Creio que quase todas as pessoas já tiveram um ALL STAR, lembro do meu que tinha na 8ª série. ALL STAR, um tênis estiloso, clássico e casual, rebelde e eternamente jovem, descolado e combina com qualquer tribo e ideologia (claro, os comunistas discordarão de mim). Na minha opinião, o segredo do ALL STAR, sem contar seu lastro histórico de ícone da cultura norte-americana, é que ele é um tênis “vestindo” calça jeans, mesmo que seja de lona, como era a calça jeans no início, antes de ser feita em brim francês. Essa lona que dá essa aura de “Forever Young” no tênis e o ar de rebeldia, modernidade e versatilidade. O ALL STAR é coberto por esse manto da juventude que é a lona. Não importa se é cano alto ou cano curto, as gerações, até hoje, vêm mantendo o ALL STAR atemporal e sempre na moda, o mesmo ocorre com a calça jeans. O ponto alto do ALL STAR, no cinema, foi ter sido calçado, simplesmente, por Rocky Balboa, em Rocky, um Lutador ( Rocky I), quando ele faz a famosa corrida, sobe os 72 degraus de pedra do Museu de Arte da Filadélfia, hoje o museu é mais conhecido por essa cena do filme do Rocky do que pelo acervo artístico dentro dele, todos que vão até lá querem repetir a subida do Rocky no hoje conhecido “Rocky Steps”, Degraus de Rocky”. Embora Rocky Balboa não seja pintor, Sylvester Stallone, seu criador, é pintor amador.  O ator Burt Young, que interpreta, nos 6 filmes da saga, o cunhado mala de Rocky Balboa, Paulie Pennino, que aparece pintando no açougue, em Rocky VI, é pintor, além de ator. Nesse filme, que fecha o ciclo da saga Rocky, ele sobe os famosos degraus calçando o ALL STAR  e acompanhado do cão adotado de um abrigos para animais, o cão se chama: Soco. Não sei se outros perceberam isso, mas o ALL STAR acompanha o início e o fim da trajetória de boxeador de Rocky Balboa. Nem preciso dizer que sou fã da franquia Rocky Balboa, pois não se fazem mais heróis como nos anos 80. É verdade que Rocky Balboa também treinou com o tênis da marca Nike, a marca ALL STAR pertence a  Nike, desde 2003. Para fechar essa postagem eu não posso deixar de comentar a foto que é uma blasfêmia contra o ALL STAR. O ALL STAR customizado fica legal, aliás, é perfeito para customizações, personalizá-lo com desenhos, logos de bandas de rock’n’roll, temática de seriados, etc. O próprio site oficial oferece uma customização. No caso da foto do post, não foi uma customização, mas descaracterização total, mutilação. O ALL STAR foi transformado, à força, numa sandália, ficou de extremo mau gosto. Eu diria deplorável, dizem que tem gosto para tudo, mas esse da foto está longe do meu gosto. Eu diria que foi desconstruído, pois customizar nem pensar. Digo mais: ficou tão estranho que um gladiador se negaria a entrar no Coliseu calçando-o.