Bicimento, a Bicicleta "Cimentada".

        A #bicicleta congelada no tempo, ou melhor, cimentada no tempo e espaço. Se isso não for uma instalação artística, a pessoa passando de bicicleta no cimento fresco, as rodas afundando, a imobilização da bicicleta, e o ciclista, ao melhor estilo dos desenhos animado, saiu caminhando até o fim da calçada, ao invés de sair por um dos lados. Saiu pisando duro no cimento fresco. Talvez, pudesse ser um atalho, para pedestres, as #calçadas são dos pedestres, pelo menos deveriam ser.  Nas ruas, as bicicletas travam lutam desigual com os veículos. Existem trechos exclusivos  destinados  unicamente para as  #bikes, as #ciclovias. Há as ciclofaixas, nas quais a separação é feia por faixas pintadas no chão, e existe ainda a ciclorrota, o melhor caminho recomendado para que os ciclistas cheguem ao destino, mas ainda  faltam muitos quilômetros, muita sinalização e muitos caminhos recomendados. Vendo uma reportagem das pessoas que trocaram o carro ou transporte público pela bike, as vantagens são inúmeras, tanto para a saúde como para o bolso, além da mobilidade, porém, a luta por espaço no trânsito pareceu-me um pouco estressante, com os ônibus passando perto dos #ciclistas. Talvez, quando o trânsito de #São Paulo parar de vez, as bikes se tornem muito viáveis, pois o emplacamento de carros parece não ter fim, e novas ruas e avenidas não estão sendo “criadas”. Quem sabe o #Governo Federal possa instituir uma “bolsa bike”, assim como os governos estaduais e municipais possam dar algum incentivo para as pedaladas, alugar a bike por um preço bom, enfim, facilitar a aquisição dela. Existem alguns #bicicletários na cidade, em parques.. Não sei se existe um monumento ao ciclista desconhecido, mas, com certeza, o dono dessa bicicleta não voltou  para pegá-la de volta. Quem deve ter ficado muito "feliz" foi o #pedreiro, alguns apelidos, símbolos, até uma pegada e uns desenhos no cimento fresco, ele podia esperar, mas essa cena surreal. Quem contratou a obra não contava com esse bônus artístico surreal. A senhora ao fundo não parece muito impressionada, já deve ter visto a cena centenas de vezes, a estátua acidental. Falando em cimento e meios de locomoção, todos devem se lembrar do caso da #Saveiro, em #Belo Horizonte, cimentada na calçada, não foi acidente, foi o resultado de uma briga de vizinhos por dois metros de calçada, a discussão não terminou de forma #civilizada, mas sim em #construção civil à força, curiosos vieram tirar fotos, afinal, não é todo dia que um carro cimentado na calçada pode ser visto, a inusitada cena foi #fotografada para a posteridade, por um tempo, virou uma instalação artística a céu aberto, se fosse colocada num museu, faria muito #crítico de arte coçar o queixo e admirar a genialidade da obra, a mesma poderia representar a lentidão das estradas e a superfrota de veículos que não para de crescer; a calçada é do pedestre, etc. Apesar de a Saveiro já ter sido libertada da “prisão” de cimento, a #disputa #judicial continua.