A Timidez e a Botânica

        Quando chega visita em casa, os #felinos desaparecem do lugar, escondendo-se em algum lugar seguro, até que a visita tenha ido embora, então, eles reaparecem. Esse é o comportamento em geral, sempre existem exceções, alguns gatos podem até interagir, ficar se esfregando com o lado das costas nas pernas da visita. Se existe visita na sala, o fato de não precisarem trocar a roupa de dormir por outra, não é incentivo algum para ir até a sala. Essa questão de ter visita surpresa na sala, não é uma questão apenas que diz respeito aos felinos e #caninos. Os #humanos, assim como os gatos, podem não se esconder, mas se ausentar, o que na prática significa a mesma coisa, ir para o quarto ou permanecer nele, se ainda não tinha saído. Dependendo da planta da casa, a planta da construção, ao se dirigir até o banheiro, a pessoa terá que fazer contato visual com a visita na sala. Ser agradável ao se acordar, sociável, não é nada natural, a não ser que seja uma propaganda de margarina. Não poderá passar e fingir que não há ninguém ali, quando será visto passando. Você está em desvantagem, acabou de acordar, cara de sono, roupa de dormir, marcas no rosto, não escovou os dentes, etc. Se a pessoa é mal-humorada quando  acorda, ter visita na sala é começar o dia com o pé esquerdo.  Dependendo do grau de #paciência que se estiver no dia, não raro, algumas pessoas decidem que não sairão do quarto, isso poderia ser chamado de :”ausência compulsória”. Caso a necessidade fisiológica aumente muito, ficará claro o porquê ter um quarto com suíte (banheiro) é tão interessante.  Caso fique insuportável aguentar a vontade de ir ao banheiro, a pessoa se torna o anfitrião fisiológico, ou seja,  terá que fazer uma interação social, para poder acessar o banheiro.  Isso pode criar uma situação desagradável, se o parente que está recebendo a pessoa não souber, se você sairá ou não do seu aposento dormitório, se nada foi combinado, corre o risco de passar um carão quando alguém diz que você não está em casa, mas, depois de um tempo, você aparece, como se fosse do nada, com cara de paisagem, ou melhor, cara de oásis no deserto da surpresa.  Nesse caso, uma interpretação #quântica não ajuda em nada, ou se está em casa, ou não se está. Uma outra possibilidade, seria estar dormindo, seu corpo físico está lá, mas sua mente está no mundo dos sonhos.  É muito deselegante, falta de #etiqueta acordar alguém que esteja dormindo, na própria casa da pessoa. Não é ser #antissocial, mas ser pego de surpresa numa confraternização social-residencial,  onde a pessoa mora, não é dos programas de lazer dos melhores.  Você pode nem ser o felino do post, mas, numa situação dessas, seu quarto vira a floresta amazônica, você não é tímido, só está interessando em não fazer uma interação social surpresa, logo ao acordar. Eu gosto muito de felinos e caninos, o que eu admiro nos felinos, conheço bem o comportamento deles, eles são observadores, mas não se submetem aos caprichos e não aceitam ser forçados a nada, esse espírito e liberdade e independência que o gato mantém na espécie dele é o mais admirável. Só quem já teve #cães e #gatos como #animais de estimação, por um longo tempo, entende que cada espécie tem seu modo de demonstrar afeto para com o #dono, só quem gosta de animais entende isso. Com relação aos gatos e a #botânica, se você já teve gatos e é observador, já deve ter visto seu gato comendo grama ou capim, eles fazem isso discretamente, a explicação é que, quando fazem a própria higiene, eles acabam ingerindo pelos, acidentalmente, o capim ou grama, a #fibra  vegetal ajuda a desobstruir o #intestino, eles também comem grama ou capim quando estão com problemas de #estômago, certa vez, vi a minha gata vomitar, e havia pedaços de capim, ela precisava de algum alívio estomacal, recorreu ao capim como #remédio fitoterápico, #plantas medicinais, por assim dizer, infelizmente, cães e gatos não têm esse discernimento nem conhecimento botânico ao escolher quais plantas ingerir, os #veterinários recomendam não ter plantas tóxicas no quintal. De acordo com os médicos veterinários as seguintes plantas são #tóxicas para os gatos e cães: mamona, azaléia, olho-de-cabra, dragão-fedorento, orelha-de-elefante, orelha-de-burro, comigo-ninguém-pode, costela-de-adão, pulmão-de-aço, barra-de-macaco, espirradeira,  cipó-imbé, filodendro, entre outras. Como cães também comem grama, essas plantas devem ser evitadas onde existem animais de estimação. A fonte desse parágrafo das plantas é do excelente Blog: "Dicas Peludas", da Denise Dechen, deixarei o link abaixo para que possam saber tudo sobre plantas tóxicas, animais e muito mais que existe no Blog: