PedraStation, Presente Para Quem Não Se Comportou Bem.

        Alguém  visualizou o console do #PlayStation nesses restos de alvenaria, imaginou o #joystick como sendo a pedra. Muitos que passaram por esse local ou observaram a cena, devem ter achado curioso e criativo. Se fosse colocado num museu, como instalação ou escultura (poderiam achar que o próprio artista esculpiu e modelou o formato do console da #Sony). Os críticos de arte teceriam suas críticas, tentando explicar qual foi a intenção do artista (pura especulação): A vontade de alguma criança muito pobre ter o console; a capacidade humana de ter saído da pedra lascada até inventar equipamentos eletrônicos que simulam jogos, batalhas; a relação entre o cinza das cidades, dos prédios, das construções com o fato de as crianças ficarem jogando videogame em casa; as brincadeiras de rua foram substituídas pelos videogames, etc. A foto poderia virar uma campanha publicitária para enfatizar que a versão anterior do console já está muito ultrapassada. Sem dúvida, a nova versão do console da Sony, o #PlayStation 4, é o novo sonho de consumo para esse #Natal.  Esse  PS da foto pode ser um lembrete de alguém para o Papai Noel, muito mais eficiente que os bilhetinhos de: “Não esqueça a minha Caloi!”. Esse PlayStation de Pedra, o PedraStation, seria um presente perfeito para o Bambam e Pedrita, dos #Flintstones, infelizmente, não poderia ser um presente de Natal por uma questão cronológica, o nascimento de #Jesus Cristo é pós-idade da pedra. Se você não se comportou bem esse ano, é provável que, ao invés de ganhar um saco de carvão, ganhe o PedraStation da foto, não se pode jogar nele, mas é bom para a reflexão interna. Há muita controvérsia sobre se o dia 25 de Dezembro seria a exata data do nascimento do #Menino Jesus, por convenção, por decreto Papal, o dia 25 tornou-se a data oficial. Na #bíblia, não há o registro exato da data, algumas religiões não comemoram o Natal. A Constituição brasileira assegura a liberdade de crença e religião aos indivíduos, sendo, portanto, uma opção pessoal, até mesmo a liberdade de não-crença.  Muito se fala sobre o #espírito do Natal, um tempo de reflexão, amor e fraternidade, não uma data comercial, onde se recebe um presente esperado o ano inteiro. Uns dirão que é o consumismo natalino. Não há nada errado em receber e dar presentes, desde que seja de coração é comprado honestamente e se saiba o verdadeiro motivo da data. Depois daquele choque que todos passamos, quando realmente descobrimos quem são os Papais Noéis. Não vou dizer quem são os Papai Noéis, seria um spoiler natalino contar detalhes do enredo, e Papai Noel ficaria triste, deixemos ele aproveitar a fama, por um tempo, aliás, no imaginário popular ele é uma figura presente, por associação com a data. O sentimento que o Natal causa nas pessoas pode variar, algumas podem sentir-se até meio tristes, saudosistas e até depressivas. Alguns podem ter até um sentimento ambivalente, um gostar não gostando. Algumas tem vontade de estar num lugar distante de tudo e de todos, esse lugar não poderia ser o Polo Norte nem a Lapônia. Outros curtem intensamente essa data, com muita alegria e decorações natalinas. Por que todo dia não poderia ser Natal?. Você já se fez essa pergunta?. Não no sentido de se ganhar #presentes, mas no sentido de se esforçar para ser uma pessoa melhor, todo dia. Algumas pessoas agem como se tivessem o espírito de Natal já presente nelas, todo dia, elas realmente compreenderam o verdadeiro sentido do Natal, não só o lúdico de dar e receber presentes. Parece mesmo que o Natal é uma amostra de como seria o mundo se todos se respeitassem, fossem solidários, fraternos, e se amassem, no sentido de irmãos, assim como foi #Jesus Cristo. Parece que passado o Natal, tudo volta a ser como antes, claro, esse clima de confraternização dura até a virada de ano. Aquelas pessoas que nos cumprimentam no Natal e Ano Novo, mas o resto do ano fingem que não nos conhecem, jamais entenderão o espírito do Natal, muito menos o sentido da sinceridade. O final do ano é um final feliz, afinal, vivemos mais um ano, um momento de balanço e #reflexão, de planos para o próximo ano. Eu creio que o Natal é o ensaio de um dia, de como o mundo poderia ser, caso as pessoas quisessem realmente mudar o mundo, com suas atitudes, mas, infelizmente, elas só conseguem, por só um dia. Não seria só culpa delas, o sistema faz tudo voltar aos trilhos. Então somos coniventes com esse tal sistema?. Não, somos inconformados com ele, não concordamos com ele, nos questionamos por que ele é assim, somos poucos, mas não estamos sozinhos. Não querendo ser pessimista, mas, como bem sabemos, o dia #25 de Dezembro não está imune às irracionalidades e crueldades da espécie humana, a espécie que é fantástica e contraditória, conseguiu sair da pedra lascada e chegar as inovações tecnológicas de hoje, mas ainda tem que evoluir muito, principalmente, nos sentimentos nobres.