Arco Romano à Escher

        Este pode ser chamado de: O arco do triunfo, quem o construiu realmente é um vencedor. A descrição da representação esquemática  está surreal, como se o arco tivesse sido torcido, embaralhado. A impressão é que o arco foi distorcido pelo espaço-tempo. Batizá-lo com um nome oficial seria difícil, talvez, Arco Romano à Escher ou Arco Romano à Salvador Dalí fosse apropriado. Se você está pensado quanto ficaria para fazer um desses no seu sítio, não vai ficar barato e vai dar uma tremenda dor de cabeça no pedreiro. Isso é uma prova de como tijolo e argamassa podem se transformar  em “arte concreta surreal”. Quanto à maneira pela qual ele foi construído, podemos supor que estruturas de madeira ou outro material foram usados como suporte, enquanto os tijolos eram assentados, aliás, esse tipo de arco, dificilmente, será feito ao estilo “faça você mesmo”. São materiais simples que se compram em qualquer depósito de construção; nesse caso, porém, a técnica de construção de alvenaria foi o grande diferencial, originalidade e criatividade. Nesse exemplo, a máxima de que: quem já viu um arco arquitetônico romano, já viu todos, deixa de ser verdade. Ficamos na curiosidade de quem foi o idealizador da obra, quem teve a ideia, o conceito, será que sonhou, contratou um arquiteto e disse: “eu penso num arco romano, mas todo distorcido, como se fosse uma rosquinha gigante ou como se cartas de baralho estivessem sendo embaralhadas, que o arco passasse a sensação que poderia estar caindo ou começou a cair e ficou congelado no tempo. Eu tive um sonho com um arco romano, mas era torcido”. Essa foto daria uma capa perfeita para um CD do Pink Floyd e a música: “Another Brick In The Wall” revisitada para: “Another Brick In The Arch”. Misturando rock progressivo com alvenaria, muro com arco, pode-se dizer que: “Em suma, você NÃO é apenas outro tijolo no muro”. Não é apenas outro tijolo no arco, cada tijolo no arranjo, na amarração contribuiu para o resultado final: curvas, movimento, sinuosidade. Eu arrisco dizer que qualquer pessoa que se colocar ali debaixo terá a sensação de que centenas de tijolos estão caindo na cabeça dela. Podemos imaginar uma festa de aniversário aí, todos nós que já fomos crianças sabemos  que elas tentariam escalar esse arco. Seria também um lugar adequado para aqueles casamentos ao ar livre.