Angry Birds: Famintos e Furiosos

        Graças a uma pesquisa no Google, pude descobrir a origem da foto, digitando a palavra acima dos números, que aparece na foto: Beyoğlu, descobri que a referida palavra é uma província de Istambul, Turquia.  Há palacetes e hotéis, onde há pontos turísticos, as opções gastronômicas são as mais variadas para todos os gostos e bolsos. Essa lanchonete pegou carona no famoso game da companhia finlandesa: Rovio. Os Angry Birds, pássaros furiosos, raivosos. O dono, ou donos, batizou a lanchonete como o nome fantasia: Hungry Birds, numa tradução livre, Pássaros Famintos, Pássaros Com Fome. Como podemos observar, o milenar e o contemporâneo se encontram na Lanchonete Hungry Birds, há o churrasco no espeto giratório, mais conhecido como churrasco grego, e o universalmente conhecido hot dog. Há uma controvérsia gastronômica aqui no Brasil. Se o churrasco no espeto giratório foi criado durante o império Turco-Otomano , ou seja, onde hoje se localiza a Turquia, por que ele não se chama churrasco Turco?.  Segundo especulações, a novidade teria sido trazida para o Brasil por um grego. A lógica é simples, se ele veio da Grécia e faz essa comida “típica”, só pode ser comida grega, logo churrasco grego. Como os pássaros estão furiosos, eles poderiam estar famintos, o trocadilho funciona perfeitamente em inglês: Angry; Hungry. Poderia até virar uma franquia de ação e gastronomia: Famintos & Furiosos. A correlação é muito evidente, com fome, ninguém se sente feliz.  Depois do estrondoso sucesso do game Angry Birds nas plataformas móveis e, em seguida, podendo ser jogado em todos os dispositivos móveis de última geração, em navegadores, redes sociais, PCs, joysticks de consoles, um dos Angry Birds foi parar numa lanchonete da Turquia. Por que o Angry Bird vermelho foi usado na fachada da lanchonete, sendo que havia outras cores. Talvez, pelo Angry Bird vermelho ser o lider dos outros Angry Birds e ser o mais raivoso, mas o efeito seria melhor se a cor vermelha fosse usada ao lado da amarela, não é à toa que essas cores são muito usadas em lanchonetes e fast foods, algumas vezes, com um pequeno detalhe em azul, é a aplicação prática do já conhecido efeito psicológico que as cores causam,  por falar nisso, um contorno amarelo bem espesso, na cor amarela, em volta do Angry Bird vermelho, e um detalhe em azul no logotipo: Hungry Birds faria toda a diferença. Outra solução possível, seria colocar simetricamente, no outro extremo, o Angry Bird amarelo. Há uma franquia que abriu mão desse paradigma das cores que causam sensação de fome e desejo e investiu no azul, branco  e carmim, a rede europeia, chamada  h3 Hambúrguer gourmet. O McDonald's também inovou, na Europa, substituindo o vermelho do logo, pela cor verde: na tendência “going green”. Com a preocupação com meio ambiente, ecologia, preservação de recursos naturais, sustentabilidade. Essa tentativa de agregar a preocupação com o verde, tornar-se uma logomarca amiga do verde, não se restringe apenas à adição da cor verde, o óleo utilizado nas frituras dos restaurantes da rede McDonald’s é transformado em biocombustível, que abastece os caminhões, o chamado ciclo fechado do óleo.  A fast food Mexicana,  Chipotle, investe em células solares e encanamento supereficiente.  A frase “Going Green”, famosa em inglês, traz o desafio de se consumir menos energia ou produzir menos detritos, desperdiçar menos, poluir menos.  Uma mudança de consciência (Going) e preocupação com a natureza, a vida, renovação e esperança (Green).