Palavras de Sabedoria e Ironia

        Antes de chegar à parte do Papai Noel e do presente, eu pensei que era um motivacional, antes de traduzir, com frases e pensamentos dos mestres Chinês e Hindu, na verdade os ensinamentos dos mestres continuam válidos, pelo menos, até que a viagem no tempo não aconteça, e o passado nunca possa ser mudado. Segundo algumas explicações, deve haver leis que impeçam um viajante de impedir que seus avôs se conheçam, pois, caso isso acontecesse, como ele teria existido e viajado no tempo para impedi-los?. Há quem diga que apenas alteraria uma linha do tempo, haveria outra realidade alternativa, onde o viajante não existe, e outra onde ele existe, múltiplos universos, universos paralelos. Seja como for, a viagem no tempo sempre fascinou o ser humano: “Se eu pudesse voltar no tempo, aquele um segundo que mudou a minha vida para sempre” ; "Aquela escolha errada que eu fiz". Pelo menos, mentalmente, é possível fazer essa viagem, o passaporte de ida chama-se: saudade ou lembranças. Existe até um termo, bem recente, para essa viagem mental pelo tempo: Cronestesia. Para ser sincero, eu discordo, em longo prazo, no caso do mestre Chinês, e a curtíssimo prazo do Mestre Hindu. Quanto ao Papai Noel, ele só tem jurisdição sobre o presente dado, não sobre o tempo presente, se bem que ele consegue entregar todos os presentes em uma só noite... Num documentário narrado pelo ator Morgan Freeman, é mostrando os primeiros passos da ciência na tentativa de entendimento do que seria o sexto sentido ou premonição, precognição, antecipar fatos futuros, sentir algo errado, enquanto dirige um carro, diminuir a velocidade, vendo em seguida um caminhão cruzar o sinal vermelho. Campo mórfico (consciência se expandido além da mente), consciência global (“transmissão” de pensamentos através do campo magnético da Terra). Como a consciência ou um observador consegue alterar, embora minimamente, um contador aleatório de números. O pico que foi registrado nessa suposta  consciência global, horas antes dos ataques terroristas às torres gêmeas do World Trade Center. Seria uma premonição dessa consciência global?. Pergunta-se, o próprio cientista tem dificuldade de interpretar esses dados. O que eu pude concluir, também baseado na explicação quântica, é que um universo sem uma consciência para observá-lo, não faria muito sentido. Por isso o ser consciente observador é importante para o Universo. Seria um desperdício haver um por do sol, mas nenhum ser consciente para contemplá-lo.  É como se houvesse uma interdependência entre a matéria e o observador, bom, é só uma interpretação subjetiva minha. Para o assunto não ficar muito sério, voltarei ao presente, às vezes, é difícil perceber o aqui e agora, estar presente, pois, muitas vezes, o corpo está aqui, mas o pensamento noutro lugar. Fazer as atividades diárias, mecanicamente, afasta-nos muito do aqui agora. Esse post que parece motivacional, traz uma grande quebra de expectativa, quando pensamos que é para esquecer o passado, deixar de se preocupar com o futuro e se concentrar no presente, vem um balde de ironia, esqueça o presente, pois Papai não lhe trouxe um. Ontem, hoje e amanhã, nós, subjetivamente, estamos no hoje, pensando no passado, imaginando o futuro, e viajando pelo presente. Talvez, o Papai Noel não tenha trazido o presente, não por que alguém se comportou mal, mas  para lembrar do desapego às coisas materiais... Para quem ficou curioso sobre o documentário, ele se chama: “Existe um Sexto Sentido?”. Deixo o link abaixo, só é preciso ativar as legendas, abaixo do vídeo: