Expectativas Não Correspondidas

        Tudo estava saindo como o planejado, até tirar a fôrma do forno. Entrou no forno como boneco de neve, e saiu como o geleia dos Caça-Fantasmas.  Uma fôrma com a silhueta do boneco de neve teria sido a solução. Nem tudo está perdido, a obra de arte comestível deixou de ser obra de arte, mas ainda é comestível. Se fosse cortado em dezenas de pedaços, ninguém jamais saberia que a ideia falhou. A ideia foi fazer o antes e depois, porém o depois não saiu como o esperado. O boneco de neve,  mesmo em forma de massa, não se deu bem no forno. Havendo convidados, bastaria abandonar a ideia original e apresentar a fôrma como o geleia dos Caça-Fantasmas, confeitaria e cinema podem ter tudo a ver. Não que o forno seja igual ao receptáculo do filme Caça-Fantasmas, mas o personagem colocado lá passa por uma transformação radical, de neve a ectoplasma. A frustração foi muito mais por ter ficado disforme do que pelo gosto,  ele está intacto na forma. Embora isso não influencie em nada no gosto, a sensação de ver o boneco de neve “derretido” na forma não é das mais agradáveis. Parece que o fermento foi o responsável por inflacionar a forma do boneco de neve, sem nada para manter, delimitar a forma, o boneco de neve se expandiu para atém das formas delimitadas pela moldagem da massa. Não foi uma tragédia na confeitaria, mas é um pouco desmotivacional. Dar expressão, fisionomia e forma e, o mais difícil, mantê-las durante o tempo que se está assando no forno requer alguns truques e dicas.  Receita,ingredientes, modo de preparo, tempo ao forno, tudo precisa ser seguido à risca ou o insucesso é certo.  O boneco de neve, a massa, foi modelado com muito esmero, até o cachecol foi lembrado. Na segunda foto, a hora da verdade, depois que fôrma é retirada do forno, a decepção foi grande. Ela está com as luvas de amianto, o que significa que a foto foi tirada  segundos depois de ela ter retirado a fôrma do forno. Estou certo que todos nós compartilhamos essa frustração que ela sentiu. Realmente, é muita pena você se esforçar para fazer algo com dedicação, mas, por algum motivo, o resultado esperado não é correspondido. Não é um fracasso na primeira tentativa que determinará o futuro, os exemplos, nas mais diversas áreas, de invenções, experimentos e procedimentos que não foram um sucesso na primeira vez são vários, por exemplo, o Thomas Edison e o tempo gasto até ele e a equipe dele descobrirem o filamento adequado que suportasse a passagem da corrente elétrica sem queimar, foram dezenas e dezenas de tentativas e fracassos até que a lâmpada elétrica fosse um sucesso.  Até podemos imaginar Edison segurando uma lâmpada, depois, noutra foto, ele segurando uma lâmpada queimada, tal como na foto do post, mas o que determinará o sucesso é o quanto se é capaz de persistir, continuar, depois de um ou inúmeros fracassos.