Samara Morgan Cursando Psicologia

         Samara Morgan, do filme: O Chamado, ficou em dúvida entre Cinema e Psicologia. Ela possuía a habilidade de incutir visões na mente das pessoas, manipular imagens, isso a fez  se interessar pela  Psicologia. Ao mesmo tempo, ela tinha capacidade de gravar imagens numa fita cassete, sem usar nenhum recurso tecnológico, nenhum software.  Imagine o que ela faria numa ilha de edição de uma emissora de televisão, talvez, apesar disso, talvez, tenha desistido da carreira no cinema e no jornalismo por ter feito a pior fita do mundo, tão ruim que quem a assistisse morreria em 7 dias, a maldição da fita. Por tentar entender a si mesma,  tentar ajudar os outros e, acima de tudo, tentar redimir-se dos erros do passado, Samara Morgan está cursando Psicologia. É verdade que o fato de não dormir a ajuda muito, sobrou muito tempo para se preparar para as provas. Aqui a vemos estudando, ela gosta de ficar um pouco depois da aula, dizem até que ela passa a noite toda estudando, afinal, ela não dorme mesmo. Ela não é muito popular na faculdade, é verdade que manter o mesmo corte de cabelo, ou melhor, o não corte ainda a faz lembrar a  Samara de antes. Os longos cabelos cobrindo os olhos pode ser uma proteção contra a timidez. Ela fez muitas mudanças, como um passo de cada vez é sempre melhor, um corte de cabelo mais ousado ainda demorará.  Samara Morgan está tentando convencer sua amiga, Bloody Mary, a bruxa do espelho, a sair do espelho de vez e ir para a sala de aula. Enquanto isso, no Brasil, a Loira do Banheiro continua no banheiro das escolas, a primeira vez que eu ouvi falar sobre ela, eu estava no primário. A visão de uma mulher ou aluna, com algodões no nariz e boca, escondida dentro do banheiro, não era nada agradável. O mais terrível, por estar com algodão na boca, ela não conseguia se comunicar, talvez, ela quisesse que tirassem o algodão de sua boca, para que ela pudesse dizer algo, o motivo de ela assombrar os banheiros das escolas, mas ninguém foi corajoso suficiente para tirar o algodão. A origem da lenda urbana Loira do Banheiro tem várias vertentes, numa delas, ela não é aluna, mas professora. Em algumas cidades do Brasil, ela é chamada de boca de algodão, há até uma versão na qual ela tem os cabelos pretos, não loiros. Eu já comentei sobre isso numa postagem antiga. De vez em quando, essa lenda urbana ressurge, ao que parece, a Loira do Banheiro ficará eternamente presa aos banheiros das escolas de ensino médio. Será que não chegou a hora da Loira do Banheiro prestar o exame do ENEM?.  Se ela fizesse isso, seria o fim da lenda urbana nos banheiros das escolas, essa migração, dos banheiros das escolas para os banheiros das faculdades, não seria nada boa para uma lenda urbana. Pensando bem, não é preciso nenhuma lenda urbana para assombrar o ensino, os governos já fazem muito bem esse papel, investindo pouco na educação e pagando tão mal aos professores.