A Espetacular Mulher-Aranha

        Esperar de pé ou sentado, enquanto estamos sendo atendidos, infelizmente, faz parte da burocracia. É quase impossível escapar das entediantes filas, a não ser que se use o banco pela internet, mesmo assim, alguns procedimentos sempre terão que ser feitos pessoalmente. Os governos estão implementando  o agendamento de consultas via telefone e internet, mas ainda precisa melhorar muito. O sonho de marcar uma consulta via internet é o futuro, porém, a quantidade de médicos por habitantes e a infraestrutura, equipamentos e leitos precisam acompanhar a banda larga. Quando somos os próximos a sermos  atendidos, ficamos prestando atenção na hora em que chega essa nossa vez, qual guichê estará disponível, na foto do post, uma cliente, ou quem sabe paciente, simplesmente, subiu num detalhe decorativo do guichê, ao melhor estilo Homem-Aranha.  A atendente ainda não percebeu que parte do joelho esquerdo da Mulher-Aranha está aparecendo, quando, e se perceber, ficará se perguntando o que era aquilo. A atendente não faz idade de que do outro lado do guichê, um show de equilíbrio e flexibilidade está acontecendo. Quem acha que nada extraordinário pode acontecer num guichê de atendimento, deveria ver a facilidade de alongamento da mulher da foto. Qual a função dessa barra ou apoio colocado no guichê,  parece ser apenas uma: manter o cliente um pouco afastado, atrapalhar. Talvez, seja a primeira vez que alguém espera ser atendida, pendurada no guichê, será que ela é praticante de Yoga, contorcionista de algum espetáculo circense. Há pessoas que odeiam situações entediantes, ela soube como ninguém espantar o tédio, fazendo algo totalmente imprevisto. Escalar o monte Everest ou escalar o guichê de atendimento, tudo é uma questão de oportunidade, de encarar o desafio ou, simplesmente, perder o senso. Não creio que ela fez isso por não querer pisar no chão, mas, se houvesse uma enchente, ela ia se livrar de molhar os pés. Quem inventou de colocar essa barra decorativa “atrapalhativa” coçará a cabeça ao ver que, pelo menos uma vez, ela não atrapalhou um cliente. O que aconteceu depois disso, talvez, o segurança tenha dito: “Por gentileza moça, não é permitido subir no guichê”. Depois desse dia, não seria estranho ler um aviso: “Proibido subir no guichê”.  Se ela for uma super-heroína, ela acaba de ser descoberta. Se o Peter Parker, o Home-Aranha, fosse depositar o dinheiro que ganhou vendendo as fotos  para o Clarim Diário, nesse banco, ou fosse atendido nesse lugar, marcando alguma consulta, talvez, ele não resistisse e faria a mesma coisa que ela. Ela não é uma mulher comum, num guichê de atendimento, esse dia, ela foi a: Espetacular Mulher-Aranha. Será que o circuito interno de segurança gravou essa proeza?. Quem sabe... Não importa se for um banco, um posto médico, qualquer repartição pública ou imóvel privado. Se há um guichê de atendimento, uma barra decorativa, a Mulher-Aranha não resistirá.