Status: Culpado!

        Os mensageiros, redes sociais, chats, enfim, qualquer ferramenta que ofereça uma janela onde se possa “teclar” ou enviar mensagens, virou motivo de desconfiança e ciúmes tanto de homens como mulheres. Essa tirinha meme aborda a lógica feminina, o ciúmes doentio da Derpina, pela lógica dela,  não importa se o namorado está on-line ou off-line, ele já é considerado culpado. Resta saber se a Derpina tem motivos, se as razões dela têm fundamento tanto no mundo real quanto no virtual.  Se o namorado dela, ou ficante, já pulou a cerca virtual e a real, ela tem motivos para estar desconfiada. Resta ainda uma polêmica: A traição virtual é traição?. Uns dirão que sim, pois consideram que a confiança foi abalada, houve a traição, beijos, abraços e algo mais, mesmo virtual, são sim traição. Traição é traição, fim de papo. Houve a intenção e a chance de concretizá-la, embora nunca possa vir a ser. Outros dirão que não aconteceu realmente, foi virtual e não abalou a relação no mundo real, não houve contato físico, nada foi consumado. Mais uma vez,  é o conflito entre o “real” e o nebuloso mundo virtual.  Muitas vezes, um dos parceiros começar um trabalho de detetive particular, fazendo perfis fakes em redes sociais, para se infiltrar, ser adicionado, na rede social do parceiro e descobrir quem está sendo adicionado, isso já terminou em muito barraco virtual e real, onde o homem ou mulher precisou mesmo deletar a conta, depois de o parceiro ou parceira xingar a todos. Existem os apps (aplicativos) que podem ser instalados em celulares para monitorar a vida do parceiro e as eventuais puladas de cerca, vale a pena lembrar que interceptar ligações ou mensagens sem o consentimento de alguém é crime, a não ser que sejam feitas com autorização da justiça e pelas autoridades competentes.  Embora os homens tenham a fama de traírem mais, pelo menos no mundo real, na internet, no mundo virtual das letrinhas e “teclagem”, há vários nicknames declaradamente casados e casadas, fora os que são comprometidos, mas usam outros apelidos. Nada demais, alguém ser casado ou casada e ficar em chats. Será?. Isso é outra polêmica, às vezes, a pessoa só quer mesmo conversar, até o fato de usar o nickname (apelido) de casado ou casada é para espantar algum pretendente virtual, a pessoa está feliz na relação ou casamento, não está ali para nenhuma aventura virtual amorosa, ou, pelo contrário, alguns estão mesmo intencionados em colocar uma peruca de touro virtual no parceiro em forma de @. Pessoas totalmente insatisfeitas com o casamento ou relação, buscando uma fuga no mundo virtual, muitas vezes, por falta de atenção e amor do parceiro, mas dirão que, mesmo assim, isso não se justifica, casos amorosos extraconjugais idealizados, baseados em descrições subjetivas, respondendo a questão que nunca cala: “Como você é?”, na imagem virtual, que pode ser muito distante da real, muitos “venderão” a melhor imagem de si mesmos. Os marketeiros digitais de si mesmos podem ser mais eficientes, e mentirosos, do que os marketeiros dos políticos. Independente do estado civil ou nível de relacionamento, o assunto é polêmico, divide opiniões. A Derpina da tirinha meme está tanto com a pulga atrás da orelha, no mundo real, quanto com o mouse atrás da orelha no mundo real. De qualquer forma, o namorado da Derpina foi culpado, tanto on-line como off-line. Condenado em duas instâncias ou mundos, o real e o virtual. Se o namorado dela for realmente inocente, ela está com a neura da traição, tão insistente quanto à neura da limpeza. O mundo virtual trouxe uma grande dúvida, que pode estar pairando (ou crescendo) na cabeça de algumas pessoas,  não bastasse a pessoa ter desconfiança de que é traída no mundo real, existe a possibilidade de ser no virtual. É bem provável que essa dor de corno virtual inspire músicas, desilusões amorosas nos mensageiros, chats e redes sociais poderão virar hits.