Einstein, As Abelhas e o Chocolate

        A ilustração da embalagem dos crocantes biscoitos de manteiga de amendoim se encaixa perfeitamente nas montanhas ao fundo. É provável que o ilustrador, arte-finalista, designer tenha se inspirado numa foto da montanha ou a pessoa que está segurando a embalagem fez coincidir os contornos, não há como saber exatamente o real contorno da montanha na primeira foto. De qualquer forma, é um trabalho de paciência e precisão até que a foto seja tirada, combinando perfeitamente com os contornos. Essa embalagem me fez lembrar imediatamente de  outra,  a embalagem do famoso chocolate suíço, TOBLERONE, sempre se renovando, nos sabores e nas embalagens, esse chocolate é uma lenda tanto no gosto quanto no formato. O desaparecimento das abelhas tem sido motivo de muita preocupação ultimamente. O físico Albert Einstein afirmou: "Se as abelhas desaparecessem da face da terra, a espécie humana teria somente mais 4 anos de vida. Sem abelhas não há polinização, isto é, sem plantas, sem animais, sem homens".  Segunda a matriz Kraft Foods, 23.4 bilhões de abelhas mexicanas são responsáveis pela produção de mel que é usado na produção anual dos chocolates que levam 3% de mel na composição. Sem contar as vacas suíças que produzem o leite e as amendoeiras californianas, a origem do cacau é um segredo.  O sumiço das abelhas colocará nossa espécie em risco, assim como afetará a cadeia de produção de setores que utilizam o mel, que vão desde produtos alimentícios até produtos de beleza e farmacêuticos.  Por falar em Einstein, quando Teodor Tobler, um ano depois da invenção, foi patentear a produção de TOBLERONE, em 1909, era o último ano que Einstein trabalhava no Departamento Helvético de Propriedade Intelectual.  É possível que Einstein tenha lidado com o registro de marca e de patente do chocolate de fama internacional. Creio que, depois que ele apreciou os documentos, correu para comer um TOBLERONE, quem sabe, comia o chocolate, enquanto analisava os documentos.  Durante os anos, a fonte da palavra TOBLERONE foi alterada. O logotipo da marca traz uma curiosidade que passa  desapercebida,  para a maioria das pessoas, dentro do monte Matterhorn, existe o enxerto ou inserção da silhueta de um urso, que fica mais evidente quando preenchida com a cor vermelha. Quando alguém segurar a embalagem do TOBLERONE, para conseguir combinar perfeitamente  com o monte Matterhorn, localizado na fronteira da Suíça com a Itália, o efeito será tão interessante quanto o da primeira foto, como eu gosto de chocolate, será mais interessante ainda.