Meu Pé De Bicicleta Lima

       Mais uma cena inusitada, assim como dinheiro não dá em árvores, as bicicletas também não. Como a bicicleta foi parar em cima da árvore é outro mistério, mas não tão insolúvel quanto os desenhos formados nas plantações do Reino Unido e em outras partes do mundo. Apesar de que os extraterrestres já fizeram bicicletas voarem, pelo menos, no filme: E.T. - O Extraterrestre, a cena clássica onde E.T. faz as bicicletas levitarem, assim como a cena da bicicleta com a Lua cheia ao fundo, porém o modelo da bicicleta da árvore e muito mais antigo do que o modelo das bicicletas do filme. Mais ou menos, em 1983, as bicicletas do filme E. T. invadiram o Brasil, as bicicross, bicicletas de corrida, praticamente, idênticas às do filme, nas cores vermelha e azul, a Caloi Cross, o sonho de consumo da molecada do início dos anos 80, o outro sonho de consumo era o videogame da ATARI. A relação E.T., o filme,  e Atari, bom, melhor deixar para um outro post. Voltando a bicicleta da árvore, parece lógico pensar que ela foi colocada nos galhos quando estes ainda eram pequenos, se foi esse o caso, quem fez isso concebeu um projeto surrealista a longo prazo e queria ser lembrando, ao que parece, voltar décadas depois e ver a bicicleta em cima da árvore, para o espanto de quem passasse por ali. Ver uma bicicleta encostada no tronco da árvore é normal, mas em cima de uma, não. É uma explicação muito lógica, também parece ser uma versão romanceada. Não se pode descartar que ela tenha sido desmontada, e as partes tenham sido levadas, uma a uma ou até inteira, com ajuda de mais de uma pessoa e remontadas lá em cima, fazendo um corte no quadro da bicicleta, para que ele pudesse se encaixar no galho. Quem sabe seja uma das bicicletas britânicas dobráveis utilizadas por paraquedistas na Segunda Guerra mundial. Chamar de: a árvore de brincos ou de óculos, se quisermos focar mais nas duas rodas, seria exercício de imaginação. Uma coisa é certa, das dezenas ou centenas de árvores dessa região, a bicicleta individualizou a árvore, ela pode, sem dúvida, ser usada com ponto de referência ou encontro de casais. Perto da árvore com uma bicicleta pendurada nela, não tem como errar!. Infelizmente, se não houver uma política séria de replantio, as árvores começarão a ficar raras, e não precisará de uma bicicleta pendurara nelas, para se sentir isso. É comum falarmos de pé de goiaba, pé de laranja ou de qualquer outra árvore, frutífera ou não, mas árvores não têm pés, nem montanhas têm pé. Mesmo com essa bicicleta lá em cima, a árvore não pode pedalar, ainda que seja um pé de árvore, aliás, não sei de que pé é essa árvore, de qual espécie ela é, ela não é uma árvore frutífera, porém a bicicleta está tão estranha lá, quase tão estranha quanto uma fruta temporã, aquela que nasceu fora de época. Seria uma boa desculpa para os pais adiarem a compra da primeira bicicleta até juntar o dinheiro, o pai ou mãe dizendo que estavam esperando uma árvore dar fruto de duas rodas, ou melhor, bicicleta, que tinha que colher a bicicleta verde, pois era para criança, se deixar crescer, amadurece, vira bicicleta grande para adulto. Vendo essa foto, dá para acreditar que é a cegonha que entrega os filhos aos pais, quando ela não quer voar, vem de bicicleta, que foi colhida do pé de bicicleta. O famoso slogan poderia ser: Não esqueça de colher minha Caloi!.