Estação Central: Umbigo Com Piercing

       Muitos se sentem o umbigo do mundo. A expressão sujeira de umbigo é usada para expressar algo que não é significante: isto é sujeira de umbigo, se comparado com aquilo. Alguns usam o umbigo, e entorno dele, para tatuar o mapa do transporte metropolitano. Estação Central Umbigo. Nesse caso, umbigo embutido, fundo, com piercing. Saber o que leva alguém a escolher determinada tatuagem, ou o tema, é muito subjetivo, apesar de haver toda uma simbologia nas tatuagens. Ela pode querer se lembrar da cidade e dos lugares nos quais morou. A vida é feita de chegadas, partidas, início, meio e fim. Pode significar até um código secreto que apenas outra pessoa entenderia. Não é possível ver a tatuagem completa. Estações, integrações, linhas. Quando mais linhas foram inauguradas, a tatuagem poderá ser atualizada. Ao invés de dar explicações complicadas, para alguém que esteja querendo se informar, basta levantar a camisa e apontar para a barriga. As estações estão bem definidas no abdômen. É uma boa desculpa para alguém olhar para o próprio umbigo, sem ser egoísta. O umbigo é a cicatriz do cordão umbilical, as linhas são os cordões umbilicais que unem as pessoas aos destinos delas no “parto” diário para ir e voltar do trabalho, esses metrôs e trens podem estar lotados. Não seria nenhum exagero que a mulher, da foto do post, fosse a garota propaganda do metrô. A peça publicitária já economizaria com a computação gráfica que seria feita para colocar o mapa na barriga dela. Ela poderia ser contratada para o balcão de Informações do metrô. Ela explicando onde a pessoa estava, que linha deveria ser usada usaria para chegar ao destino, enquanto apontava os lugares na barriga dela. Apesar de toda essa informação poder ser obtida através da internet e vista nos dispositivos móveis de última geração. Sem dúvida é uma das tatuagens mais diferentes já vistas, que deve fazer muito sentido para ela. Um fã de trens ou metrôs tatuaria faria uma tatuagem realística ou mesmo um trem ou metrô estilizado, não o mapa. Quem sabe essa tatuagem tenha uma história tão fantástica que mereceria até virar um livro ou filme. Quem sabe foi o jeito de lembrar as raízes dos lugares nos quais ele morou, mudou-se, visitou, enfim, viveu. As raízes expostas exteriormente como um mapa das linhas do metrô da cidade na qual ela morou. Aqui em São Paulo, esse umbigo seria a Estação Sé do metrô. Se o umbigo tivesse inflamado, por causa do piercing, lembraria a Estação Saúde do metrô de São Paulo. Esse mistério continuará, assim como a continuação da tatuagem: a Estação Terminal.