Áreas Para Fazer e Não Fazer a Festinha (Carinho) Em Cães e Gatos

       Esta ilustração, em forma de infográfico, mostra as áreas seguras para se fazer carinho em cães e gatos, a chamada: festinha. Convém lembrar que apenas os donos dos cães e gatos sabem como eles costumam se comportar. Movimentos bruscos podem ser interpretados como alguma ameaça, apenas com muita cautela pode-se ter uma noção se o animal é arisco ou não, manso ou não, porém nunca certeza absoluta. Durante uma entrevista, um repórter que fez um movimento brusco, próximo à parte de trás do pescoço de um pastor alemão, foi atacado. Devido ao treinamento, o cão era do canil da polícia, o cão pode ter apenas reagido ao adestramento que recebeu. De um modo geral, as áreas da ilustração refletem os pontos onde cães e gatos gostam de ser acariciados, mas, como tudo, não se pode generalizar. Se o animal estiver sentido dor nos órgãos nos quais essas áreas estão, obviamente, ele não ficará feliz em ser tocado nessa área.  Nas raças de cães e gatos que eu já tive, as partes realmente conferem. No caso dos felinos, debaixo do queixo, é um ponto que eles realmente gostam de receber carinho. É um ponto de partida, no geral, para a escolha das partes ou áreas que eles gostam de receber afeto dos donos. Quem já teve cães ou gatos deve conhecer bem essas áreas. É interessante compreender as diferenças comportamentais entre cães e gatos, até na hora de eles receberem carinho. Calma e observação, deixar o animal habituar-se a presença é importante. Os benefícios que os animais de estimação exercem sobre os donos são vários, segundo estudos, os donos de animais de estimação precisam tomar menos remédios, além de passar menos dias internados, dois dias a menos, em média, quando comparados às pessoas que não têm animais de estimação. Os benefícios de se ter um animal de estimação são vários e para todas as idades, só para citar alguns: favorecer o sistema imunológico dos donos; reduzem o estresse; aumentam expectativa de vida dos donos, depois de infartos. De acordo com um estudo publicado no British Medical Journal, os donos de animais de estimação são mais dispostos, 82% dos entrevistados afirmaram que os animais de estimação os fazem se sentirem melhor, quando estão tristes por algum motivo. Ao brincarem com os animais, os níveis de dopamina e serotonina (hormônios do bem-estar e prazer) dos donos aumentam, e os de cortisol (hormônio do estresse) diminuem.  Os animais de estimação facilitam a interação social das pessoas. Eles tornam nosso dia melhor, mais leve, tornam nossa vida feliz, e os momentos de alegria recordaremos para sempre.