Enem: Depois Da Prova

       Iniciou-se a olimpíada de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Para alguns, além da maratona de provas, há uma maratona para não chegar atrasado, mas sempre existem aqueles que, infelizmente, não chegam a tempo. Neste ano, houve “Enemseiros” que tentaram passar entre as grades, outros balançando os portões, alguns pulando muros, em puro desespero, lembrando a queda de Saigon, no ex-Vietnã do Sul. São cenas tristes, de quem se preparou, e perdeu a hora, por minutos e segundos. Candidatos chorando, segurando as grades, transmitem uma sensação de perda terrível, resultando em fotos que captam angústia e tristeza humana, o que as torna menos impactantes é que não são fotos de guerra, talvez, da guerra da espécie humana contra o tempo e o relógio. Haverá outros Enens, outras oportunidades. A confusão com o horário oficial de Brasília causou atraso de alguns candidatos que que perderam a prova na região Norte do Brasil. Uma atrasada desmaiou em frente ao local da prova, na Barra Funda, em São Paulo. Há também os sádicos que ficam em frente aos portões, para testemunhar esse momento dramático, houve um que levou até cerveja, para assistir de camarote a desgraça alheia. Algumas fotos, que viraram memes, foram postadas, comparando o aglomerado de candidatos esperando em frente aos portões com a série: The Walking Dead. A caneta esferográfica de tinta preta feita de material transparente, quase esquecida nos dias de hoje, nunca foi tão valorizada e inflacionada, chegou a ser vendida pelo triplo do preço das papelarias, o medo de uma falhar deve ter feito muitos comprarem outra, além disso, na pressa de chegar ao local, algumas canetas de tinta preta podem ter se perdido pelo caminho, documentos também. Uma candidata esqueceu a caneta, ao buscá-la, quando voltava, encontrou os portões fechados, um esquecimento que custou a prova do Enem desse ano. Houve quem chegou na hora certa, com caneta, mas esqueceu de levar um documento com foto. No caso do Enem, pequenos detalhes como uma caneta preta, um documento com foto, um minuto perdido, por um esquecimento, podem custar a prova e pôr a perder todo o tempo dedicado à preparação para a prova do Enem, ao estudo. Depois de responder às perguntas, preencher o cartão de respostas, que leva cerca de 20 minutos, vem aquela sensação de dever cumprido ou, fiz o melhor que pude, se não for suficiente, farei melhor ainda, ano que vem, resta voltar para casa e ver a repercussão das questões na internet e redes sociais. Os gabaritos e correções extraoficiais feitos pelos professores de cursinhos são aquele momento que muitos descobrem que escolheram a alternativa errada, questionando-se por que não escolheram aquela que pensavam ser a correta. Apesar dos esquecimentos, contratempos e erros, fica o exemplo da dedicação, que nos faz sentir muito orgulho, como o da costureira Ivani Conceição Silva, 70 anos, que sonha cursar psicologia, é a terceira tentativa dela e ela disse: “não vou desistir”.