Primeiro Episódio Da Nova Temporada

O primeiro episódio da nova temporada sempre é uma expectativa. Alguns evitam a todo custo o spoiler (informações reveladas sobre o conteúdo de uma série, livro ou filme, que estragam a surpresa de quem ainda não assistiu).

Por vezes, o spoiler vira Trending Topic (assunto mais comentado) no Twitter , e o desfecho daquela personagem que você simpatizava já foi revelado: #RIP FULANA DE TAL. Você achava que ela ficaria até o último episódio da nova temporada, contudo, já no primeiro, ela morre.

Você pode ficar sabendo que o novo episódio já está disponível toda semana, por e-mail, por anúncios em formato de banner ou, simplesmente, logando e navegando pelo catálogo do serviço de streaming da Netflix, por exemplo.

A ansiedade e curiosidade sobre o novo episódio da nova temporada já é uma boa notícia, a série não foi cancelada. Será que haverá mudanças drásticas ou viradas nesse primeiro episódio da nova temporada ou vai começar calmamente: “Anteriormente, em...”

Sobre as maratonas (assistir várias temporadas em seguida ou numa semana), cada um deve ter sua receita: alucinadamente, quase uma overdose de temporadas, ou em doses homeopáticas. A reclamação é que falta tempo para pôr as séries em dias.

Antigamente, as emissoras de tv aberta não tinham respeito pelos telespectadores (algumas continuam não tendo...), elas mudavam os horários das séries, na grade da programação, do jeito que queriam, não compravam o direito de exibição das novas temporadas. Os telespectadores ficavam sentados na poltrona, no vácuo.

Sem contar quando você começava a assistir uma série numa emissora, acostumava com a dublagem, com as vozes das personagens, então a outra emissora comprava os direitos da nova temporada e contratava uma nova empresa de dublagem. Era muito ridículo, ainda é...

Você gostava das séries e seriados, porém as emissoras as esquartejam na grade da programação e sumiam com elas, sem dar explicação, puro desrespeito. O público que assistia novela era tratado de um jeito, o que acompanhava séries, de outro.

Os dias do espectador passivo terminaram faz tempo, e as emissoras abertas só faltam implorar por audiência. Eu não acompanho nenhuma série pela TV aberta. Você pode achar que isso é uma vingança, mas é apenas um internauta fazendo sua própria grade de programação.

As smart Tvs (LG*, entre outras) com abas para Netflix*, Youtube e acesso à internet estão aí para ficar. Assistir TV aberta é a última das opções. Jornais tendenciosos, apresentadores que pensam que são engraçados e descolados, mas são chatos e artificiais. Tem apresentador que não tem time para humorista, muito menos vocação.

Hoje, é normal se informar sobre uma notícia em várias fontes pela internet. Sim, fontes duvidosas e tendenciosas também existem na web, mas se tem a opção de navegar, buscar, pesquisar, filtrar, discernir, avaliar.

Foi muito desrespeito analógico, agora, recebem de volta a indiferença digital dos internautas ex-espectadores. A sessão da tarde não tem mais a magia das décadas anteriores, filmes mutilados, a sensação que se tem é que ela incomoda a grade da programação.

Ótimos filmes que marcaram época passaram de tarde, à noite também. Num dia frio e chuvoso de inverno, faltando na escola, por causa da gripe, era uma ótima opção.

*Este conteúdo não é patrocinado. Eu citei a marca de TV e o serviço de streaming por estar muito satisfeito com ambos. Se um dia em vier a veicular posts patrocinados, deixarei isso claro.