Bancos Monociclos Ergométricos

A ideia desse estabelecimento é bem original. Enquanto o cliente espera o pedido chegar, ele pode dar umas pedaladas no banco monociclo ergométrico que não sai do lugar. É possível pedalar e, ao mesmo tempo, queimar as calorias do refrigerante.

É o cliente quem escolhe, pode, simplesmente, sentar-se no banco, sem pedalar, mas quem resiste aos pedais, ali, ao alcance dos pés. O lugar parece um misto de lanchonete e academia. É um lembrete da prática de exercícios físicos.

É claro que alguém irá se sentar e apenas apoiar os pés nos pedais, sem pedalar, só para contrariar, apenas movimentando levemente os pedais nos próprios eixos. Como quando se está em cima da bicicleta e se segura no portão de casa para conversar com alguém.

Quem estiver por perto pode até pensar que há uma trupe de circenses, equilibrando-se nos monociclos, apresentando-se em frente a lanchonete, mas são só clientes sentados, curtindo a “happy hour” com emoção.

A ideia é excelente, com certeza, a clientela será atraída pela originalidade e curiosidade dos bancos monociclos ergométricos, por sentirem vontade de se sentar e experimentar os bancos diferentes.

As crianças pedirão aos pais que as levem à lanchonete das “bicicletas”, não dos monociclos, talvez, bicicletas de uma roda só. Elas pegariam um palito de sorvete e encostariam nos aros e acionariam o pedal para fazer aquele barulho irritante, porém divertido (para quem faz), igual os moleques (eu fazia isso também) costumavam fazer nos aros da bicicleta, amarrando um pedaço de tampa de margarina.

Os ansiosos podem substituir o chacoalhar dos pés pelas pedaladas. Não sei em qual país fica, se fosse aqui no Brasil, o imposto pago pelo dono(a) do estabelecimento seria muito alto e ele(a) não poderia dar as famosas pedalada fiscais, só os governos podem...

Qual seria um bom nome fantasia para essa lanchonete? Badaladas e Pedaladas; Monos & Ciclos. Lanchonete: Pedale e Coma & Coma e Pedale.