E.T. Olhando a Vitrine No Frio

Há alguns anos, uma fonte contou ao tabloide National Enquirer que Steven Spielberg e Drew Barrymore (ela interpreta a irmã de Elliott) estiveram negociando com estúdios para que houvesse uma continuação do filme que emocionou, e emociona, gerações: E.T. - O Extraterrestre.

Já estamos no fim do ano de 2016, e não se falou mais sobre isso. Sempre nos perguntamos: Por que não houve uma continuação, sequência, para um determinado filme do qual gostamos? O reencontro de E.T. e Elliott.

Muitos amantes do cinema discordam e acreditam que o clássico deva permanecer sem uma continuação, o fim está bom, o desfecho foi ótimo e a expectativa da volta fica no imaginário. Por que E.T. correria o risco de voltar e acabar sendo capturado e aprisionado na Área 51 para ser estudado. Seria necessário um tempo passar, 10 anos, talvez, 20 anos.

E.T. foi esquecido pelos pais no nosso planeta e conheceu a bondade e a maldade do ser humano. Nesse tempo, que ele não voltou, Elliott e a família dele poderiam estar sob vigilância das agências governamentais secretas. As chances de um retorno do E.T. seriam perigosas. Ele não teria como viver por muito tempo, mesmo escondido na casa da família, como o Alf, o Eteimoso, nem o Alf conseguiu por tanto tempo, foi aprisionado no último episódio, e um filme posterior mostra o que aconteceu.

O hipotético retorno do E.T. - O Extraterrestre deveria levar alguns anos, mas teria que ser com o mesmo ator (poderia ter sido um ator mais velho, mostrando o salto cronológico, na época, mas perderia a graça), parece que se passaram muitos anos, 34 anos, desde o lançamento do filme, ainda há tempo para eles voltarem.

Se o E.T. voltar, de uma coisa eu tenho certeza: Ele vira em computação gráfica, e o tema não deve ser mais tão bucólico e sobre a amizade interplanetária entre duas crianças. 

Nesse retorno, O E.T. poderia revelar muitos segredos sobre o Universo, sobre aquelas supostas fotos estranhas do lado oculto da nossa Lua, de qual constelação ele veio, qual o nome do planeta dele, há quanto tempo a espécie dele nos visita. As conspirações e acobertamentos das agências governamentais. E.T. poderia convidar Elliott para visitar o planeta dele, e como seria a reação dos outros extraterrestres se é que algum humano já foi levado até lá.

Sem se esquecer das doces lembranças (e as amargas também) da infância e da amizade surgida entre Elliott e E.T, hoje, eles seriam dois adultos que conversariam sobre questões que nos preocupam, questões existenciais, sobre saúde, tecnologia, vida e morte. Como o tempo passa para o E.T. é outra questão que não se soube. Qual a longevidade da espécie dele?

Se houve medo de um fracasso de bilheteria para uma continuação, esse receio já devia ter sido superado. Num ponto, infelizmente, E.T. fracassou, mas foi no mundo dos games. O programador de jogos da Atari, na época, foi pressionado a terminar rápido o jogo de videogame do E.T. para o lançamento no Natal. O resultado foi um fracasso comercial tão grande que surgiu uma lenda urbana dizendo que os cartuchos do videogame do E.T. tinham sido enterrados num aterro sanitário municipal no deserto.

Essa lenda urbana durou anos, até que, recentemente, um grupo de pessoas decidiu conseguir uma autorização para que o suposto lugar fosse escavado para tentar colocar um ponto final nessa história. Virou um documentário que passou na Netflix, quando a notícia da busca dos famosos cartuchos enterrados se espalhou, uma legião de fãs e curiosos se apressaram para acompanhar o trabalho.

Incrivelmente, depois de muita escavação, foram achados os cartuchos do fracassado jogo do E.T., enterrados embaixo de décadas de pilhas de lixo. Foi uma das lendas urbanas que se espalharam com a ajuda da internet cuja verdade pode ser comprovada com provas materiais (os cartuchos achados enterrados foram exibidos como troféus). Esse assunto foi desenterrado literalmente e esclarecido de uma vez por todas. Foi considerado o pior jogo de todos os tempos (alguns discordam) e o iceberg que ajudou a afundar a Atari.

A Atari produziu jogos fantásticos que marcaram gerações e a indústria de games para sempre, mas o game do E.T. foi uma tragédia comercial traumatizante.

Eu queria ver a volta do E.T. no cinema, com o ator que interpretou o Elliott (Henry Thomas) e a atriz Drew Barrymore, enfim, com toda a família dele. Eles teriam muito que conversar. Como esses 34 anos passaram no tempo relativo do E.T.

Enquanto isso não acontece, se é que vai acontecer um dia, a foto do post traz uma dúvida se o E.T. realmente teria ido embora. Está um pouco alto para ser o E.T., parece ser uma senhora terráquea, num tremendo frio, olhando a vitrine e segurando uma bolsa.