Passando o Cadeado Na Xícara

Pode ser uma xícara que tenha um valor sentimental, ela pode conter a medida exata de café que você gosta de tomar, não importa o motivo ou mania, é sua xícara, e a última coisa que você deseja é vê-la usada, suja, na beira da mesa, da pia, prestes a cair no chão e quebrar.

Não há problema, quando as pessoas respeitam o que é seu, mas, dependendo do lugar, da república ou do convívio, alguém “esperto” vai pegá-la limpa, tomar café nela e deixá-la em qualquer lugar.

Não é egoísmo (pode até ser confundido com...), pode ser uma mania, um (TOC) transtorno obsessivo compulsivo. Não que o mundo irá se acabar porque a pessoa não cumpriu o ritual compulsivo de beber na xícara de estimação. Não que o gosto do café será diferente por estar em outra xícara.

Se você tem uma xícara de estimação, com valor sentimental, ela corre o risco diário de ser quebrada, acidentes acontecem... Se a xícara “sobreviveu” intacta a mudanças de casas, é mais um motivo para se ter apego a ela. 

É uma história. Não que você esteja traindo a xícara, por estar bebendo café em outra, quando não está em casa, porém seria estranho levar sua xícara de casa.
Pessoas e as manias, as manias de ser pessoa: “Cadê minha xícara? ”; “Quem a pegou? ”; “Onde a deixaram? ” Esta xícara é muito grande, esta é muito pequena.

Não tinha seu nome nela, vão dizer, contudo não seria difícil de descobrir a fidelidade, todo dia, tomando café na mesma xícara, mesma cor, guardando-a no mesmo lugar, diferente de tomar café nos copos descartáveis “clonados” de plástico.

Aquele momento especial com sua xícara, seu café, como personalizá-la, como tirá-la do uso coletivo, existem outras xícaras, todavia você gosta daquela em particular. Alguém teve a ideia de usar a asa que não serve para voar da xícara para colocar um cadeado, pronto, xícara personalizada, propriedade privada.

Passar o cadeado na xícara. Se perder a chave, terá de pagar um chaveiro para “abrir” a xícara. Ao mesmo tempo, pode ser que alguém tente abrir o cadeado para roubar a xícara, nem pelo valor, mas só para provar que nada é realmente a prova de furto.

Será que quem colocou cadeado na xícara gostava muito dela ou simplesmente se cansou de sempre lavar xícara para os outros sujarem e resolveu garantir uma xícara limpa quando precisasse.

Quem teria desencadeado essa ideia? Esse pode não ser o cadeado do amor colocado por casais na ponte de Paris (não se pode mais colocar esses cadeados lá), mas é um cadeado de amor à xícara. É impossível "desquebrar" uma xícara, porém se pode "trancá-la" a cadeado.