VINCENT VAN GOGH

    Vincent Van Gogh ganha vida e sai da tela, mas, com medo do mundo estranho que encontra, por precaução, leva a moldura consigo, como uma proteção. Maravilhado com a modernidade deste mundo que encontra, entra num Cyber Café parisiense, impressionado com as pessoas em frente ao que ele considerou um retângulo mágico que exibe imagens. Ficou hipnotizado com uma mulher que pintava uma paisagem, mas, pintava sem tinta, ele percebeu, sem cheiro de tinta, ele entendeu que era uma paleta que ela usava, mas, estava dentro de um retângulo mágico, aproximou-se, e tentou entender. Tocou a tinta, mas, percebeu que era um tipo de vidro. A mulher perguntou: "Vejo que o senhor é fã de Van Gogh, já usou o Corel Painter, ou o Photoshop?".  Ao que ele respondeu: "Como você espreme mais tinta quando a que está usando acaba, onde ficam os tubos, como tira a pintura de dentro caixa mágica?". A mulher rio, achando que ele havia entrado no personagem. Van Gogh pôs a moldura no chão, atônito, continuou observando a mulher, pintando sem pincel. Pensou estar delirando, ou tendo outro surto. Perguntou-lhe: "Que ano estamos?", a mulher ainda acreditando que era uma brincadeira respondeu: "2012, senhor Van Gogh, pintamos sem tinta, sem pincel, e sem tela, mas, há um jeito de tirar a pintura do retângulo mágico, e imprimi-la em papel telado, o senhor pensará que é uma pintura real". Chocado Van Gogh pegou sua moldura e disse-lhe: "Senhorita, não me sinto bem, preciso voltar ao  Louvre, preciso voltar para minha época, não entendo esta mágica, não entendo estas roupas das pessoas. Esta não é a Paris que conheço, só a Torre Eiffel continua a mesma",  a mulher tentando desmascará-lo pergunta: "Sabe por quanto foi vendida uma das telas os girassóis?", ele pergunta: "Por quanto?", quando ela vai responder, é interrompida pelo toque de despertar do celular, acordando. Lamentou não ter tido tempo de dizer o preço que uma das obras alcançou.