Raiz Quadrada, No Dia a Dia


       Sempre é interessante, quando temos exemplos da aplicação prática da matemática no dia a dia: desconto, juros simples e composto, lucro, porcentagem, etc.  Em frações, quase sempre, usa-se chocolate e pizza, como exemplos. Há os números imaginários que poderiam ser amigos imaginários de outros números, claro, isto não é verdade, embora seja lúdico. Os números irracionais poderiam ser imaginados como números destituídos de razão,  poderiam  ser números revoltados, números insanos, mas o que um número poderia fazer em termos de insanidade, talvez virar um número cardinal, o 7 virou sete, ou virar um ordinal: sétimo, pensando bem, não seria uma mudança tão radical, seria mais radical se aparecesse com um corte na haste, aliás, o 7 é único número que pode usar um piercing, algumas pessoas tem o costume de cortar o sete na escrita, para não confundir com o número 1, eu tenho este costume, cortar o sete, para deixar claro, foi como a professora ensinou no ensino fundamental, é bem estiloso cortar o 7, lembra a marca do Zorro. O número 8, coincidentemente, na sequencia, é outro que para mim tem que ser feito começando e terminando sem tirar a caneta do papel, há quem prefira fazê-lo como duas esferas uma em cima da outra, mas, eu não consigo fazê-lo assim, claro, é a coisa mais fácil do mundo, na verdade, é não querer mesmo, o 8 deitado Lemniscata ou Lemniscate,  símbolo do infinito, mas, eu já o fazia assim, desde quando nem imaginava o que era infinito nem os outros simbolismos, como o Ouroborus, a serpente que morde o próprio rabo, símbolo muito antigo da Alquimia. Para mim é como pôr pingos nos is, já vi números escritos que o 7 passava por 1 e vice-versa. Há os famosos números primos, mas, nunca soubemos, quem são os números tios ou tias. Por que não poderia existir números gêmeos, já existem, mas, poderiam ser chamados de gêmeos: 11, 22, 33, 44, 55, 66 trigêmeos 111, 222, etc. Há os números naturais inteiros positivos, e há os números maquiados resultados de contabilidades fraudulentas de contadores que levaram bancos a falência. Quando escutamos,  pela primeira vez,  a palavra raiz, em Matemática, pensamos em raiz de árvore, ou raiz de dentes.  Quando estudamos a raiz quadrada, jamais esperaríamos vê-la, um dia, mas, eis que num belo dia, a matemática e a Biologia, mais especificamente a Botânica, unem-se numa simbiose perfeita, direto da abstração para a ironia: a raiz quadrada.