Esqueceu-se de Que Havia Lição de Casa

        Chegar atrasado, quando a aula começou, tomar uma advertência, ser suspenso, tirar nota vermelha, pontos negativos, suspensão, repetir o ano e, o mais grave, a expulsão da escola. Alguns desses itens farão, em algum momento, parte da vida do aluno em sua jornada pela vida estudantil, até mesmo a combinação deles. Chegar atrasado e notas vermelhas parecem dois dos itens que têm maior probabilidade de acontecer, em algum momento ou ano, na vida do estudante. A maioria dos itens da lista é culpa exclusiva do aluno, com exceção do chegar atrasado, isso pode ser relativo, se o ônibus quebrar durante o trajeto, por exemplo, não se pode culpar o aluno por isso. Assim como há péssimos alunos, existem professores ruins, como em qualquer outra profissão ou atividade. Esquecer de fazer a lição de casa é um lapso que gera um momento constrangedor, e pontos negativos. A questão é: será que a lição de casa foi “esquecida” propositalmente, negligenciada ou realmente o aluno se esqueceu mesmo de fazer a lição de casa, foi um esquecimento puro e sincero. Intencional ou não, esse esquecimento tem consequências, gera pontos negativos, o que é justo, afinal, os outros colegas de classe gastaram parte do tempo fazendo a lição de casa que tem como um dos objetivos fixar a matéria que é dada na escola. Se essa ideia fosse passada desde os primeiros anos na escola, de que a lição de casa é muito importante para o aluno, os alunos parariam de achar que a lição de casa foi um jeito que professor inventou para "torturar" o aluno ou tentar estragar o fim de semana. A expressão: “fez a lição de casa” generalizou-se, é aplicada desde o empreendedorismo, até por técnicos de time de futebol e jornalistas. “Depois de fazer a lição de casa, tal time melhorou”.  No geral, significa corrigir as falhas, aplicar os procedimentos, diretrizes básicas e corretas para o desempenho satisfatório, antes de passar para um nível mais complexo, é preciso fazer a tal lição de casa em qualquer área. Quando aquele colega de classe pergunta se fosse fez a lição de casa, na verdade, ele não está curioso, mas só querendo ver a sua expressão de espanto, caso não tenha se lembrado de fazer. Vem aquele gelo no estômago, a reprovação dos amigos de classe, depois, os olhares sádicos, só esperando a hora de a professora constatar que ele não fez a lição de casa. As amizades da época de colégio são assim mesmo, seu amigo adora quando você se ferra na sala de aula, mas ele sempre quer que você passe de ano, afinal, a amizade continua na próxima série, se tiverem a sorte e caírem na mesma classe, na educação física, no time de futebol. Não que ele deseje seu mal, mas, ele quer valorizar o tempo que gastou fazendo a lição de casa, mas você por lapso gastou esse mesmo tempo fazendo outra coisa, possivelmente divertida. É uma questão de justiça. Já os desafetos, eles sempre desejarão que você repita mesmo de ano. Quando o aluno lembra por si só, já sentado na cadeira, que não fez a lição de casa, tudo que ele quer é que ninguém comente sobre a lição de casa e vai rezar para a professora se esquecer de verificar, mas os professores sempre lembram, fica na agenda, caso esqueçam, os 98 por cento que fizeram a lição de casa a lembrarão que é preciso verificar e corrigir em sala de aula. Essa segunda chance já deve ter acontecido, mas é raríssima, se professora e alunos se esqueçam da lição de casa, na segunda-feira, aquele que não a fez tem a chance de fazer, na terça-feira, sai ileso, mas isso é tão raro que chega a ser uma lenda urbana estudantil. Na sala de aula é: Aqui não se faz a lição de casa, aqui se ganha pontos negativos. É o karma instantâneo do magistério ou: "Aqui não se faz, aqui se paga".