Roupas de 1 Dólar. Literalmente

        Há um grande número de sites sobre teorias conspiratórias, onde a nota de um dólar é dissecada nos mínimos detalhes, as supostas mensagens subliminares são atribuídas à Maçonaria, aos Illuminati, entre outros. Eu não estou afirmando que as explicações procedem, só dizendo que tais afirmações existem. Basta digitar: Nota de 1 (Um) dólar. É dito que George Washington, primeiro presidente dos Estados Unidos, era maçom. Comentar sobre os símbolos, principalmente no verso da nota, a pirâmide com o olho que tudo vê, a águia, a obsessão pelo número 13, a famigerada  corujinha que muitos dizem estar lá, onde a coruja dorme, outros acham que ela não está lá, e estão vendo coisas, ou melhor, coruja onde não existe. Já existem ótimos sites que fazem isso, “explicam”, obviamente, não é esse meu objetivo nessa postagem, porque a nota de um dólar não está sendo mostrada em detalhe, mas vestida, usada como “roupa”. Essa foto me levantou muitas dúvidas: seriam Adão e Eva revisitados, depois de expulsos do paraíso, a dependência financeira da humanidade?. Seriam os Adões e Evas do terceiro milênio, cobrindo as vergonhas deles com notas de um dólar? O dinheiro do qual tanto precisamos,  que é ao mesmo tempo a causa de muitos infortúnios.  Em minha opinião, mesmo sem levar em conta a tatuagem com o símbolo feminino, Símbolo de Vênus (Afrodite), que aparece na mulher, essa foto parece simbolizar que as mulheres,  mesmo exercendo a mesma função, ainda não recebem os mesmos salários que os homens. A ideia de que os dois receberem a mesma quantidade de notas, mas a mulher gastou mais, parece inviável, e o casal está discutindo a respeito das finanças e faturas de cartão de crédito, cheque especial, é pouco provável.  Por que ela parece estar com um biquíni de algumas dezenas de nota de um dólar, e o homem parece estar vestindo calça comprida e camiseta, claramente, a roupa dele é mais cara, existem mais notas. Eu escolho a disparidade salarial entre homens e mulheres como explicação. Eles estão fazendo contato visual olhos nos olhos, ou seja, pouco está interessando a “roupa” dinheiro nesse caso. Dinheiro no bolso, debaixo do colchão, no cofrinho, agora, dinheiro na pele. Algo pode não só custar os olhos da cara, como também arrancar o couro nesse caso. Dinheiro na mão é vendaval,  grudado no corpo é “roupa”. Por outro lado, facilita muito, não precisaria tirar a carteira do bolso ou da bolsa, bastaria descolar uma grana, nesse caso, descolar literalmente do corpo. O limite do que se pode gastar é muito claro, até antes de ficar nu, se gastar mais do que o limite, é atentado ao pudor e prisão.  Se eles quiseram gastar tudo, só existe uma maneira, comprando na lojinha de $1,99 dólar de uma praia ou campo nudista, mesmo assim, a ideia não seria boa, teriam que voltar para casa, de ônibus não daria, talvez de táxi, como cada estado americano tem sua própria legislação, duvido que algum estado permita dirigir nu dentro do carro. Essa “roupa” dinheiro seria a felicidade de trombadinhas e batedores de carteira. Não se pode negar uma coisa: os gastos ficaram bem claros, a noção do que é gasto, quem exagerar na gastança, passará vergonha. Não há dúvida quanto ao preço da roupa, basta contar as notas de dólar, claro, a roupa, noutros países, está sujeita a variação cambial do dólar. Os Beatles já disseram: Can't Buy Me Love (Não Pode Me Comprar o Amor).