Desafio Aceito

        Uma cena surreal, de repente, uma terrível vontade de ir ao banheiro, a pessoa chega e se depara com a privada bem lá no alto. Caso a pessoa já tenha subido uma escada para usar um banheiro, nesse caso, ela precisa de uma escada móvel para usar o vaso sanitário. Depois que usar o banheiro, precisará mover a escada para lavar as mãos. Imagine alguém perguntando: “Você sabe onde fica o banheiro?”.  “Sim, logo ali, primeira à direita”. Saber onde fica não resolve os problemas, a altura que está a privada é o que determina o uso, nessa foto, o não uso. A explicação possível, uma delas, o piso foi demolido,  se o lavatório e a privada continuaram, é porque outro piso será colocado. Caso isso não aconteça, o trabalho será muito mais difícil e precisará de uma escada para remover ambos, a privada e o lavatório. É difícil saber o que a construção realmente é, mas aquele amortecedor, na porta, e o armário amarelo sugerem que pode ser um centro esportivo, salão destinado à festas, enfim, um lugar amplo com  muito acesso de pessoas, é o que se pode concluir a partir da ampla porta. Não seria uma privada indicada para quem tem medo de altura, falando em altura, essa privada e lavatório poderiam tentar fazer parte do Guinness Book, o livro dos recordes, como privada com a pior acessibilidade do mundo ou a privada mais alta já vista, claro, numa categoria à parte, pois a privada do último andar do prédio mais alto do muito ganharia ou a privada de um avião comercial, pensando melhor, a privada dos astronautas no espaço seria o recorde mundial, quero dizer, o recorde  extraterrestre, mas o sistema usado no espaço é muito diferente do modo convencional. No espaço, o astronauta diz que vai usar o Sistema Coletor de Dejetos, nome bem espacial, há travas para os pés e para a cintura, caso contrário, se flutuaria, e para aquilo que eles fazem na privada não sair flutuando pelos compartimentos do ônibus espacial ou da Estação Espacial Internacional, um sistema de vácuo para o número 1, e um sistema de correntes de ar para o número 2 são a solução para o problema da falta de gravidade e evita graves problemas de dejetos flutuando pelos compartimentos, e contaminação. Os astronautas, mais do que ninguém, sabem a importância da gravidade aqui da terra, quando usam o banheiro no espaço. Os dejetos têm fins diferentes,  a urina pode ser eliminada no espaço, mas, na Estação Espacial internacional, a urina passa por tratamentos especiais, tornando-se água potável. Quanto ao número 2, ele é desidratado e colocado em compartimento próprio e retorna à Terra, porém, quando o compartimento fica lotado, eles são lançados numa cápsula que queima, quando entra na atmosfera da terra, bom, isso é meio difícil de aceitar,  mas quando as pessoas fazem desejos, ao virem uma estrela cadente, pode ser que estejam fazendo um pedido para o cocô encapsulado de astronautas. Sabendo disso, não seria estranho que os astronautas, quando dão descarga no banheiro, aqui na Terra, façam um pedido. Estrelas cadentes também não estrelas, são meteoritos, pedras vindas do espaço, fragmentos de material sólido que queimam na atmosfera devido ao atrito e deixam um rastro luminoso. São verdades inconvenientes, por outro lado, há poucos astronautas orbitando ao redor da Terra, logo as "estrelas cadentes", vistas deixando um rastro luminoso no céu noturno, têm grandes possibilidades de serem mesmo meteoritos, e não custa nada fazer um pedido.