Asteroide “Natal” Não é Pavê Nem “Pacomê”

O Asteroide “Natal”, de aproximadamente 2.5 quilômetros de comprimento, passará a uma distância de 11 milhões de quilômetros da Terra, cerca de 28 vezes a distância Terra-Lua, na véspera de Natal. Segundo afirmações da NASA (Agência Espacial Norte-Americana), não há motivos para preocupações. O “Natalroide”, também conhecido como: 2003 SD220 ou 163899 não é uma surpresa, 2003 é justamente o ano em que ele foi descoberto. Apesar de alguns comentários e rumores, ele não causará terremotos nem “despertará” vulcões “adormecidos”, e não há evidência científica entre aproximação de asteroides e catástrofes, claro, seria diferente se ele viesse em trajetória de colisão direta com a Terra, o que não é o caso, se isso acontecesse com esse asteroide, um dos continentes sumiria do mapa.

É possível que Ebenezer Scrooge, protagonista da história: Um Conto De Natal (Charles Dickens), ficasse feliz com esta notícia, mesmo sem a colisão, o Sr. Scrooge comemoraria, pelo menos, até a visita dos 3 fantasmas, bom, não vou contar a história, se nunca assistiu, é um clássico de Natal, os estúdios Disney também adaptaram o Conto de Natal para o desenho animado, e o Tio Patinhas como Scrooge foi uma adaptação perfeita no quesito avareza. O filme “Férias Frustradas de Natal” é outro clássico que costuma ser repetido nas semanas que antecedem o Natal.

Voltando ao “Natalroide”, pela distância que o asteroide “Natal” passará da Terra, na véspera de Natal, não atrapalhará o melhor sistema de entregas já visto, o trenó do Papai Noel. Para você que não aguenta mais aquela piada: “é pavê ou pacomê?” e já está com o pacová cheio dessa piada natalina, o asteroide Natal não será visto (a olho nu), muito menos comido, para comer um asteroide só mesmo um buraco negro. O asteroide poderá ser visto por astrônomos profissionais com telescópios muito potentes,  até mesmo os amadores precisarão de um telescópio nível profissional, se quiserem ver o asteroide que não é pavê...