A Gargalhada Virtual

Quem se conecta à internet, há anos, conhece bem a famosa gargalhada virtual: “KKKKK”. Mesmo quem está se conectando agora, ou se conectará no futuro, conhecerá o “KKKKK”. Existem as variações: “kakakakaka”. A gargalhada virtual ou “kargalhada” reinou soberana nos computadores de mesa e, como não poderia deixar de ser, migrou para os dispositivos móveis de última geração. Sem contar os risos que podem ser: “hahahaha”; “hehehehe”; "hiauhaihaiau”; “hihihihihi” (este mais femininos). Alguns trolls (pessoas que entram em chats só para zoar, atrapalhar a conversa alheia) costumam rir: “hauahahauahahauah”; “huaheuaheuaheua”, algumas vezes, misturam até o asdfg no meio ou teclas aleatórias misturas com: “ha”; “he”; “hi... Não que todo troll rirá assim, alguém pode usar este riso virtual, mas não ser troll, como um troll pode zoar e gargalhar: “KKKKKKKK”.

Há quem ria moderadamente, com um pequeno sorriso: “rsrsrrs”; rs.  Existe até o riso roteirizado, quase como uma rubrica de intenção (risos) ...risos..., até mesmo avisando que achou algo bem engraçado: “rindo muito aqui”; “rindo até 2035”. Se for uma gargalhada bem alta, costuma-se usar o CAPSLOCK (caixa maiúscula) para mandar um “KKKKK”. Em chats existe até quem exagere mandando duas ou três linhas de “KKKKK”. A etiqueta da internet diz que, quando se tecla ou digita em maiúsculo, é como se estivéssemos gritando, sendo, portanto, falta de educação. Embora existam emoticons  (os sinais gráficos, as carinhas, que representam emoções) e os emojis (figuras prontas) de gargalhadas, eles sempre poderão ser potencializados junto com um “KKKKKK”.

Não se pode esquecer de citar o pai do emoticon, ícone da emoção, o professor Scott Fahlman, professor assistente de pesquisa de ciência da computação da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, que sugeriu, em 1982, que se usasse: :-) para diferenciar uma mensagem de texto que era brincadeira, de uma que era séria :-(. Essas carinhas felizes e sérias (tristes) feitas de caracteres tipográficos evitaram confusões na simples plataforma de troca de mensagens on-line da faculdade, o que era simples e eficiente, logo foi adotado e se espalhou, alastrou-se em textos e mensagens na tataravó da internet e até hoje são usados. Cada país tem o seu “KKKKK” e seu LOL (Laughing Out Loud, “rindo alto”). 

A “KKKaggalhada” ou gargalhada virtual pode estar acontecendo ao mesmo tempo que pessoa está, realmente, “rachando” ou “cascando” o bico de rir ou, ao contrário, o interlocutor, a outra pessoa que leu a mensagem, só teclou por teclar, respondendo: “KKKKKKK”, mas não achou graça nenhuma naquilo que leu. Esse “KKKKKK” foi apenas uma gargalhada “amarela”, parecida como o sorriso, amarelo.  Eu sempre lembrarei de um ditado que traduzi de um livro de inglês do ensino médio, dizia: “Ria, e o mundo rirá com você. Chore, e você irá chorar sozinho”.  Se o potássio, símbolo atômico K, da tabela periódica, gargalhasse, mesmo periodicamente, seria uma gargalhada metálica alcalina. Em português, o Potássio gargalha em K. O Hélio, He, ri nobremente: “HeHeHeHeHe”.