Captchas, reCaptchas e Death Captchas

        Certamente, você já teve que provar que é humano  para algum computador e achou isso muita petulância. Alguns sites são imperativos, intimam mesmo e desafiam: “Prove que você é humano!”.  Ao acessar áreas de sites, fazer downloads, comentários, finalizar um processo, fazer ou cadastrar uma conta você precisará preencher e, às vezes, decifrar Captchas. Por vezes, as #letras da #fonte estão tão distorcidas, misturadas e "grudadas" que erramos ao digitá-las, felizmente, há a opção gerar outra imagem, que pode ser clicada até que aparece um #código de segurança que consigamos identificar os caracteres. #CAPTCHA (Completely Automated Public Turing test to tell Computers and Humans Apart), numa tradução livre: Teste de Turing Público Completamente Automatizado para Diferenciação Entre Computadores e Humanos ou Para Diferenciar #Computadores de #Humanos. A concepção foi criada na década de 50, pelo matemático Allan Turing, na publicação intitulada: Computing Machinery and Intelligence, porém a concepção do teste original é o contrário do que conhecemos do Captcha de hoje, ela consistia em imaginar uma conversação entre dois seres humanos e um computador, cada um deles num ambiente isolado do outro, se um mediador não conseguisse identificar qual dos três era o computador, quem passava no teste era o computador. No Captcha de hoje, quando o preenchemos corretamente, o sistema ou máquina “compreende” que só um ser humano é capaz de responder àquela questão. Estamos passando num teste gerado por uma máquina, provando que não somos máquinas. Qual a função do Captcha?. Certamente, uma camada de segurança visando evitar fraudes, impedindo que #Bots introduzam mensagens, #spams, enviadas por outros computadores. Você deve estar pensando: “Mas eu já vi mensagens publicitárias indesejáveis nos chats que não são do #chat, que eu coloco no ignora”. Verdade, mas essas #mensagens publicitárias indesejadas e proibidas (a política dos chats proíbe qualquer tipo publicidade feita por usuários nas salas dos chats, tanto no aberto como no reservado) são colocadas nos chats por pessoas de carne e osso, que preenchem os Captchas. Imagine se não existisse um Captcha a ser preenchido, os bots (robôs) disparariam #publicidade indesejada dia e noite, sem parar, automaticamente. Por isso, além de evitar #fraudes, o Captcha é um Antibot. Se mesmo assim você acha uma perda de tempo preencher um Captcha, saiba que Luis von Ahn  criou uma  utilidade nobre e humanitária para eles,  o projeto reCaptcha, http://www.google.com/recaptcha cada vez que você preencher um Captcha corretamente, você ajudará a digitalizar um livro. Graças a Luis von Ahn e a Escala Massiva de Colaboração Online, os 200 milhões de reCaptchas digitados ou teclados por dia ajudam a #digitalizar #livros, são apenas 10 segundos do nosso tempo humano que serão usados para uma causa nobre. Sobre a foto do post, apesar de alguns acharam que o título Black Metal seria mais apropriado, na verdade, trata-se de bandas Death Metal: Arcanius(1),Chordotomy(2). Independente de nomenclaturas e classificações do #Metal, a ideia é que o Captcha Metal seria muito mais complicado para preencher, mais hardcore, fazendo o Captcha normal parecer não mais muito complicado ou difícil de decifrar.